Bolsonaro afirma que irá extinguir a Ancine se suas mudanças não forem aprovadas

Bolsonaro afirma que irá extinguir a Ancine se suas mudanças não forem aprovadas

Por Rafael Rodrigues da Silva | 19 de Julho de 2019 às 19h11

Nesta sexta-feira (19) o presidente Jair Bolsonaro afirmou que pretende transformar a Agência Nacional do Cinema (Ancine) em uma secretaria vinculada a algum dos ministérios do governo, e que ou ela existirá do jeito que o presidente achar melhor ou ele irá simplesmente extingui-la.

Isso porque Bolsonaro afirmou que o único modo de a Ancine continuar existindo é se ela passar a ter alguns “filtros culturais”, ou seja, que ela só banque algum tipo de projeto que se encaixar em definições temáticas específicas. De acordo com o presidente, caso ocorra uma pressão popular que o impeça de criar esses filtros, a Ancine será privatizada ou simplesmente extinguida.

O motivo dado pelo presidente para a adoção desses filtros culturais é de que o governo não pode bancar filmes “pornográficos”, e cita o longa Bruna Surfistinha como exemplo (vale ressaltar que Bruna Surfistinha não recebeu nenhum financiamento da Ancine, e foi produzido com a ajuda da Lei Rouanet, que possui um tipo de arrecadação totalmente diferente e totalmente desvinculado da Ancine). Já os críticos da decisão afirmam que criar filtros temáticos na Agência seria a mesma coisa que censurar a classe artística, pois a maioria dos cineastas que produzem filmes de menor orçamento (e que concorrem a prêmios internacionais e levando o nome do Brasil ao mercado internacional de cinema) necessitam do apoio da Ancine para que suas obras saiam do papel.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A fala do presidente segue no mesmo tom das críticas feitas por ele sobre a agência nos últimos dias, condenando um suposto “ativismo” da Ancine, que culminou na confirmação da transferência do escritório dela do Rio de Janeiro para Brasília nesta quinta-feira (18). O objetivo da mudança é que o Palácio do Planalto tenha mais influência das decisões tomadas pela Agência, e pode fortalecer a articulação de políticas públicas para a área de cultura. Ao mesmo tempo, a possibilidade de tirar a autonomia criativa é o que mais preocupa os artistas que dependem da Ancine para sobreviver de sua arte.

Fonte: Exame

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.