Vazamento revela todos os planos da Microsoft para o mercado de videogames

Por Rafael Rodrigues da Silva | 25 de Maio de 2019 às 20h30
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

Faltando pouco menos de um mês para a E3 2019, esse é o momento em que costumam surgir muitas informações sobre o que cada empresa está preparando para apresentar no evento. E, pela primeira vez em anos, todos os olhos estão voltados para a Microsoft, pois ela será a única do “Big 3” (Microsoft, Sony e Nintendo) a apresentar uma conferência física no evento (a Nintendo transmitirá um Direct especial como vem fazendo nos últimos anos, e a Sony surpreendeu ao anunciar que não estará no evento este ano).

No último domingo (19), o usuário do fórum NeoGAF, que diz ser alguém com muitos contatos na indústria e utiliza o pseudônimo Braldryr para manter sua identidade real anônima, divulgou diversas informações sobre como será o próximo ano da Microsoft — basicamente, tudo o que a empresa está preparando para mostrar na E3 deste ano e algumas informações de bastidores e negociações que devem ser finalizadas até o fim de 2020.

Não há como ter certeza se essas informações estão 100% corretas (o próprio usuário avisa que, principalmente no quesito de negociações para a compra de novos estúdios, as coisas podem mudar bastante de uma semana para a próxima), mas ele possui um histórico de acertos bom o suficiente para pelo menos levarmos em conta essas informações como possibilidades existentes.

Microsoft na E3 2019

Conferência da Microsoft na E3 2018 (Imagem: Microsoft)

A maior parte do vazamento se refere sobre a E3 de 2019 — afinal, o evento acontecerá em menos de um mês, então é certeza que praticamente todo o roteiro (ou pelo menos uma boa parte dele) do que a Microsoft irá apresentar já está definido. Assim, os vazamentos sobre a E3 são os únicos que o usuário do NeoGAF crava com certeza absoluta que irão acontecer.

Alguns são bem fáceis de cravar, pois são títulos que já haviam sido anunciados e era de se esperar que a empresa utilizasse a E3 para mostrar mais sobre eles. Entre esses títulos teremos: Halo Infinite, do qual será mostrado um novo trailer — os desenvolvedores irão ao palco para falar sobre o processo e as mecânicas do jogo, e revelarão uma janela de lançamento para o final de 2020; Gears Tactics, o jogo de tática da franquia Gears of War, que ganhará um novo trailer e uma data de lançamento para ainda este ano; e Gears of War 5, do qual será mostrado trailer de gameplay do modo campanha e do modo multiplayer, e a Microsoft confirmará a data de lançamento para setembro deste ano, como já havia sido revelado há alguns meses em um vazamento.

Entre os títulos de menor expressão, a Microsoft deverá anunciar também a data de lançamento para Ori and the Will of the Wisps, novos conteúdos para Sea of Thieves, e o primeiro gameplay do novo Battletoads.

A empresa também prepara algumas pequenas surpresas para o evento, e a principal delas será a revelação de Age of Empires 4, o retorno da franquia de jogos de estratégia que desde 2005 não apresentava nenhuma novidade. Algo que não é bem uma surpresa, mas que será também confirmado pela companhia, é o reboot da franquia Fable, e a empresa confirmará que o RPG de mundo aberto que a Eurogamer divulgou em 2018 que a Microsoft estava desenvolvendo é mesmo um Fable, mas, ao contrários do que os rumores apontavam, não será um Fable IV, e sim uma nova versão do primeiro jogo. Haverá também a revelação de Bleeding Edge, um novo jogo da Ninja Theory cujo conteúdo ainda é um verdadeiro mistério, e sabe-se apenas que terá uma temática sci-fi.

A Microsoft também levará diversas novidades em matéria de hardware para o evento, revelando os primeiros detalhes sobre a próxima geração de consoles Xbox. A revelação será parecida com a que a empresa fez com o Xbox One X na E3 de 2016 (ou o que a Sony fez com o PlayStation 5 em abril deste ano), onde serão reveladas diversas especificações de hardware, mas não revelará nenhum design de como será o console. A empresa também revelará mais detalhes sobre o Project xCloud (o sistema de streaming de jogos Xbox), e divulgará a data dos primeiros testes públicos do projeto. Ainda, a Microsoft também confirmará que Halo Infinite e Bleeding Edge serão títulos cross gen, ou seja, serão lançados tanto para o Xbox One quanto para o novo console.

E3 de 2019 marcará o começo do fim da era do Xbox One (Imagem: Sérgio Oliveira/Canaltech)

Entre títulos que ainda não foram confirmados, mas que existem rumores de que podem fazer uma aparição no evento, há grandes chances de a Microsoft anunciar também um novo jogo da série MechAssault, além de rolar o anúncio de um novo jogo da série Forza Motorsport. Existem outras possibilidades que são conversadas nos corredores da empresa de que podem acontecer também ainda nesta E3, mas com chances bem pequenas, como a revelação de uma nova IP da Rare que seria bastante inspirada em Sea of Thieves (mas não necessariamente uma continuação do jogo) e o tão aguardado reboot de Perfect Dark.

Mas, além de novidades da Microsoft, a conferência também deverá apresentar diversos conteúdos das chamadas “third party” — empresas independentes que desenvolvem seus próprios jogos, como a Capcom. Normalmente essas empresas se dividem entre a Microsoft e a Sony para apresentar seus jogos mas, como a Sony não participará do evento este ano, todas elas apresentarão suas novidades junto com a Microsoft, o que deverá tornar a conferência deste ano um pouco maior do que a dos anteriores.

Entre essas empresas, é praticamente certeza que a Capcom revelará pelo menos um novo jogo grande — rumores apontam para um remake de Resident Evil 3 ou ainda um novo jogo da franquia Dino Crisis —, mas não há certeza ainda de qual será esse título. A Microsoft também deverá usar o palco da E3 para anunciar algumas novas parcerias com desenvolvedoras japonesas, então os fãs de Xbox podem esperar algumas surpresas em matéria de novos RPGs para o console.

Mas a principal novidades desses estúdios independentes será Cyberpunk 2077, que promete ser um dos clímax da apresentação, onde representantes da CD Projekt Red subirão ao palco para falar sobre progressos feitos no desenvolvimento do jogo, mostrarão um novo vídeo de gameplay e revelarão a janela de lançamento do game.

Negociações com estúdios

Phil Spencer está sempre em busca de novos estúdios para adquirir (Imagem: Microsoft)

Além de o que esperar da apresentação da Microsoft na E3 2019, também foram reveladas algumas informações sobre estúdios que a Microsoft está negociando comprar e trazer para o “guarda-chuva” da Microsoft Studios, tornando-os desenvolvedores exclusivos para os consoles Microsoft.

Dois estúdios que há meses correm rumores de que estariam sendo negociados pela Microsoft foram confirmados como fora dos planos da empresa: a CD Projekt Red (The Witcher, Cyberpunk 2077) e a Creative Assembly (franquia Total War). O usuário diz ter perguntado sobre essas histórias para diversas de suas fontes de dentro da empresa, e todas elas afirmam veementemente que não há nenhum tipo de negociação ou plano da Microsoft para adquirir esses estúdios.

De acordo com essas fontes, existem três estúdios que a Microsoft está oficialmente em negociações para adquirir: a IO Interactive, a Relic Entertainment e a Asobo. Para a I/O (empresa conhecida pela franquia Hitman), as negociações já estão em estágio avançado e a Microsoft até mesmo já enviou uma proposta com o valor que está disposta a pagar pela empresa, mas aparentemente essa proposta ainda não foi respondida e a empresa expandiu seus escritórios nos últimos meses, então não é possível saber exatamente se eles tem a intenção ou não de vender o estúdio para a Microsoft.

Conhecida pela franquia Hitman, a I/O Entertainment é uma das empresas que a Micrsoft assumidamente tem interesse em adquirir (Imagem: I/O Entertainment)

O caso da Relic também é fácil de entender: a Microsoft já está há algum tempo interessada em adquirir um estúdio para desenvolver jogos de estratégia em tempo real (RTS) — e até foi dessa intenção que surgiram os primeiros rumores sobre uma compra da Creative Assembly. Como a Relic já possui um grande histórico no desenvolvimento desses jogos (com as franquias Warhammer 40000 e Company of Heroes), e já está trabalhando junto da empresa para desenvolver Age of Empires 4, fica fácil entender por que eles são vistos pelos executivos da Microsoft como uma boa compra. O maior empecilho na negociação seria a SEGA, que adquiriu a Relic após a falência da THQ em 2013 e não estaria interessada em facilitar as negociações para a Microsoft.

Já a Asobo é um estúdio mediano da França, conhecido por desenvolver adaptações para os videogames de filmes da Disney (como os jogos de Rattaouille, Wall-E e Toy Story 3) e, há poucos dias, lançou A Plague Tale: Innocence. A empresa já tem um bom histórico de trabalho junto com a Microsoft nos últimos anos, desenvolvendo aplicações para o HoloLens e jogos como ReCore e Kinectic Rush e, como ainda é totalmente independente, pode ser a mais fácil da Microsoft conseguir fechar a aquisição.

De acordo com os rumores, a Microsoft ainda estaria interessada em adquirir outras três empresas, mas por enquanto não há nada oficial da parte da gigante e tudo ainda está na fase das conversas internas.

4A Games, conhecida pela franquia de jogos Metro, também estaria na mira de aquisições da Microsoft (Imagem: 4A Games)

Uma dessas empresas seria a 4A Games, conhecida pela série de jogos FPS/Terror Metro. A franquia é uma espécie de “clássico cult” entre os consumidores da Microsoft desde a época do Xbox 360 e, como Phil Spencer (chefe da divisão de videogames da Microsoft) já avisou que tem interesse em adquirir estúdios de diversas partes do mundo para criar jogos que sejam interessantes para diversas culturas, faria sentido uma aquisição da desenvolvedora russa.

Além do rumor sobre o interesse na 4A, também sabe-se que a Microsoft estaria atrás de dois estúdios específicos: um estúdio japonês — este que até mesmo já estaria em negociações avançadas — e um estúdio que possui um histórico de exclusividade com a Sony. E algumas conversas de corredor levam a crer que esses estúdios podem ser a Platinum e a Bluepointe.

Ainda que a Microsoft e a Platinum tenham um histórico complicado por conta de todo o rolo que culminou no cancelamento de Scalebound, o relacionamento entre as empresas não parece estar tão danificado. A Platinum lançou há pouco tempo uma versão de Nier Automata para o Xbox One e, recentemente, a empresa veio a público fazendo um mea culpa sobre o caso Scalebound, defendendo a decisão da Microsoft de cancelar o game, admitindo que boa parte da culpa de por que o jogo foi cancelado foi por conta de decisões da própria empresa, também pedindo desculpas para os fãs que aguardavam ansiosos por novidades.

Principalmente por causa desse pedido público de desculpas há o rumor de que a Microsoft já está em processo de adquirir a Platinum, mas ainda não há nada que confirme essa informação e pode ser que seja outra desenvolvedora totalmente diferente. A única informação concreta é de que a Microsoft já está mesmo em negociações finais para adquirir uma desenvolvedora de jogos japonesa, e deverá anunciar essa aquisição nos próximos meses.

Desenvolvedora de Nier Automata, a Platinum Games pode ser uma das empresas adquiridas pela Microsoft este ano (Imagem: Platinum Games)

Já a aquisição da Bluepointe segue o mesmo princípio da Platinum: há uma informação concreta vaga, e ela bate com o que conhecemos da empresa. A informação concreta é que a Microsoft está atualmente conversando com uma empresa que possui um histórico de relacionamento de exclusividade com a Sony. A partir dessa informação, muitos rumores têm apontado para que esse estúdio seja a Bluepointe, que no ano passado lançou o remaster de Shadow of the Colossus e, alguns anos antes, havia também trabalhado no porte dos três primeiros jogos da série Uncharted para o PS4.

Ambos os jogos são muito elogiados por não apenas serem bons ports para o console, mas também por recriar algumas mecânicas de forma a atualizá-las para os novos consoles sem estragar os conceitos das versões originais. A Microsoft atualmente é dona de um monte de IPs antigas que possuem uma boa base de fãs, mas que não têm ninguém para trabalhar nelas, e a aquisição da Bluepoint poderia resolver esse “buraco” nos planos da empresa. Mas, como sempre, é bom deixar claro que essa é uma suposição baseada em uma informação, e não é certeza de que esse estúdio que possui histórico com a Sony seja mesmo a Bluepointe.

Como podemos ver, os próximos meses deverão ser bem movimentados para a Microsoft, e confirmações dessas informações deverão começar a acontecer já na E3 deste ano. O que nos resta agora é esperar que a companhia consiga se manter no caminho trilhado nos últimos três anos com os consoles Xbox e continue diminuindo a vantagem que a Sony abriu com o PS4 no mercado de videogames.

Fonte: NeoGAF

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.