Review Ratchet & Clank | Em Uma Outra Dimensão é um arsenal de diversão no PS5

Por Guilherme Sommadossi | Editado por Jones Oliveira | 08 de Junho de 2021 às 11h00
Divulgação/PlayStation

O que uma espécie de felino espacial e um robô foram fazer na galáxia? Bem, essa história começou em 2002, no amado PlayStation 2. Anos e jogos mais tarde, o PlayStation 5 recebe Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão, mais uma grande história da dupla, mas completamente aprimorada de tudo que já foi mostrado.

O Canaltech já jogou e preparou um material com tudo que gostamos e o que nos incomodou nessa experiência de nova geração. E, claro, tudo sem spoilers para você aproveitar ao máximo quando começar a jogar.

A história começa com a dupla recebendo uma homenagem da cidade pelas vezes que salvaram a galáxia; igual quando atletas olímpicos voltam às suas cidades e desfilam nos caminhões do Corpo de Bombeiros exibindo suas medalhas. Eis que o Dr. Nefarious e seus capangas atrapalham a comemoração e roubam o Dimensionador, a poderosa arma que abre fendas no tempo e espaço.

Os heróis e o próprio vilão acabam sendo sugados por uma dessas fendas e vão parar em Corson V, uma Megacorp alternativa onde quem manda em todos os planetas é o Imperador, versão de Nefarious. Após um combate, eles se separam e Clank acaba resgatado pela nova — e carismática — Rivet, a lombax fêmea que é o duplo dimensional de Ratchet.

A parceria da lombax com Clank rende ótimos momentos na trama (Captura de Tela/Guilherme Sommadossi)

A nova protagonista é um equilíbrio perfeito entre o bom humor e a seu senso de responsabilidade — lembra um pouco a personalidade do Homem-Aranha. Mesmo já tendo passado por maus bocados, ela vê em seus novos amigos uma grande chance de derrotar o vilão principal

Nessa realidade, ela é uma das líderes da resistência que luta para libertar a galáxia, mas o vilão e seu exército robótico dificultam muito o processo. Com as fendas espalhadas por todos os cantos, os heróis buscam o caminho rumo a vitória.

Pew Pew

Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão tem uma mecânica divertidíssima. Com o variado arsenal, é possível criar diversas táticas diferentes de combate. Porém, se a munição acabar, sempre terá a chave de fenda de Ratchet ou o novo martelo de Rivet.

Usar as armas é mais interessante, principalmente porque elas sobem de nível e permitem melhorias. Aumentar a munição, taxa de disparo, área de alcance e outras funções são essenciais para combater os novos inimigos que aparecerão no caminho. Mas o combate corpo-a-corpo é muito efetivo e também conta com uma melhoria gradual.

Vale ressaltar que os dois protagonistas têm uma espécie de "inventário compartilhado". Todas as compras, melhorias e armaduras encontradas podem ser usadas pelos dois. A explicação para isso é que a Sra. Zurkon, vendedora de armas, libera as armas para os dois por eles serem da resistência. É engraçadinho.

O game bebe bastante da fonte dos RPGs, trazendo um dash excelente para os combates (Imagem:Captura de Tela/Guilherme Sommadossi)

Os vilões também têm múltiplas formas de ataque, com disparos “convencionais”, bombas, raios e ataques físicos. Nessa hora, entra outro fator crucial no game: a movimentação. Além da possibilidade de correr e pular, o jogo conta com o poder do Fantasma, um dash e as botas propulsoras. Nas áreas grandes ou nas pequenas, dá para desviar de tudo enquanto atira freneticamente nos inimigos.

Tudo funciona muito bem e de forma fluída, mas em duas ou três vezes, usar a bota na máxima velocidade me fez furar o mapa e entrar em lugares que não eram possíveis. Claro, isso é algo comum em acessos antecipados e muito provavelmente vai ser corrigido até o lançamento.

O acessório é muito útil nas batalhas e para agilizar a busca pelos colecionáveis (Imagem: Captura de Tela/Guilherme Sommadossi)

Não é uma odisseia espacial

A história de Ratchet & Clank: Em Outra Dimensão segue uma linha narrativa bem interessante, mostrando como são os personagens na nova realidade. Apesar de diferenças físicas, as personalidades, qualidades e inseguranças são praticamente as mesmas, mas em contextos diferentes.

A trama principal é um pouco curta, de modo que a experiência total só é mais longa com as missões secundárias (que também não são tantas) e a caça pelos colecionáveis — ainda que alguns só fiquem disponíveis com o avanço da história.

O foco, claro, é mostrar os protagonistas viajando por diversos planetas e explorando a outra dimensão para interromper os planos do Dr. Nefarious e restaurar os universos. Com o desenvolvimento do enredo, são apresentados alguns valores de amizade, persistência para alcançar seus objetivos e o como o trabalho em equipe vence qualquer coisa.

Ao longo do jogo, é possível voar de dragão e ainda passear em besouros (Imagem:Captura de Tela/Guilherme Sommadossi)

Na maior parte do tempo, a história simples é contada com um humor leve capaz de agradas todos os públicos. Mas em outros, assuntos um pouco mais tensos envolvendo a tirania do governante e até autoaceitação são bem inseridos na história e te fazem refletir.

Assim como o jogo de PlayStation 4, depois da última missão final é desbloqueado o Modo Desafio (um Novo Jogo+) que permite o aumento do nível das armas e de vida, mas equilibra isso deixando os inimigos mais resistentes e fortes. O modo cumpre bem seu papel de deixar o jogo mais difícil, e é possível dizer que ele alonga o enredo. Vale ressaltar que se você quiser a platina, vai precisar jogar um pouco desse modo.

Alguns vilões começam a ter mais armaduras durante o avanço da história (Imagem:Captura de Tela/Guilherme Sommadossi)

A progressão da dificuldade, na maior parte do tempo, também é coesa com todo o desenvolvimento da história e com as novas armas que ficam disponibilizadas até aquele momento.

Senti alguns desequilíbrios nas fases com a Glitch — de remover vírus dos computadores — em que certas partes eram mais difíceis que outras. Em outros momentos, alguns chefões estavam muito abaixo do esperado, o que deixava a batalha sem graça. Porém, foram poucas vezes e nenhuma que atrapalhou a jogatina de verdade.

O Modo Foto conta com muitas opções de edição e de personalização (Captura de Tela/Guilherme Sommadossi)

Hardwares de outro planeta

A Insomniac Games teve a chance de fazer dois grandes lançamentos brilharem no primeiro ano do PlayStation 5 e fez isso com maestria. Assim como em Marvel’s Spider-Man: Miles Morales, o SSD elimina as telas de carregamento.

No novo Racthet & Clank, da tela inicial do console ao menu do game leva cerca de 6 segundos. Dele para o jogo em si, em 2 segundos o jogador já está com tudo pronto para a aventura.

As transições entre as cutscenes são extremamente fluídas, a troca rápida de dimensões e cenários também funcionam muito bem, sem nenhum engasgo ou queda significativa de frames. Fora que os momentos de combate intenso, com milhares de inimigos, tiros, explosões e várias coisas acontecendo ao mesmo tempo são um deleite visual e é possível ver cada detalhe.

O mundo vai acabar e ela só quer ganhar (Imagem:Captura de Tela/Guilherme Sommadossi)

O DualSense rouba cena mais uma vez. Depois de Astro's Playroom mostrar tudo que o novo controle do PS5 é capaz, as armas de Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão mostram, literalmente, um arsenal de possibilidades.

Falando primeiro das armas, cada uma tem sua particularidade e isso é muito bem refletido pelo controle. Algumas contam com dois modos de tiro, como o apresentado em Returnal, da Housemarque. Segurar o R2 até a metade é um tipo de disparo ou uma função diferente. Quando o botão é apertando até o fim, temos outro resultado. Tudo isso é mostrado de formas diferentes na vibração, na rigidez do gatilho e até a forma como ele se mexe.

Outro detalhe muito legal é quando tem a passagem de nível. No momento, sobe uma música épica e tudo fica em câmera lenta na cena, até mesmo a movimentação do controle. Parece que até você está sob o efeito favorito de Zack Snyder. Fora que quando a vida está baixa, o DualSense pulsa como um coração acelerado.

Prepare sua nave

Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão é outro acerto da Insomniac Games no PlayStation 5. O game é divertidíssimo, com a jogabilidade frenética e variada que consegue inflar a história que é boa, mas nada muito diferente dos outros jogos e de outras tramas de ficção científica infantojuvenis.

Para os mais experientes em jogos de tiro, recomendo já começar no hard para uma experiência mais desafiadora, já que não é possível mudar ao longo do jogo. No modo normal, minhas mortes praticamente se resumiram aos momentos que cai do mapa sem querer. A brincadeira só ficou séria no modo desafio e nas dificuldades maiores.

O jogo está totalmente localizado em português brasileiro ou seja, é dublado e legendado — e estará disponível exclusivamente para PlayStation 5 em 11 de junho.

No Canaltech, Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão foi analisado com cópia gentilmente cedida pela PlayStation.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.