Por que assopramos os cartuchos de videogames? A ciência explica

Por Sérgio Oliveira | 07 de Julho de 2014 às 08h30
photo_camera Reprodução

Nem sempre a vida gamer foi tão fácil como é hoje com DVDs, Blu-rays e jogos sob demanda vendidos a preço de banana no Steam. Além de sofrer com a escassez de opções de antigamente, a vanguarda gamer ainda tinha que conviver com um pequeno empecilho que acometia a grande maioria dos jogadores: os cartuchos nem sempre funcionavam de primeira.

O problema era recorrente e só não irritava mais porque uma técnica super efetiva foi rapidamente desenvolvida: a de assoprar as fitas. Se o jogo não pegasse ou se de repente travasse no meio da jogatina, bastava desligar o aparelho, retirar o cartucho e assoprá-lo. Pronto, todos os problemas se resolviam como num passe de mágica.

Com o advento das mídias digitais e dos jogos sob demanda, essa técnica foi esquecida (os mais jovens sequer a conhecem) e acabou por se comprovar que ela não servia para nada a não ser para a proliferação de bactérias e fungos nos conectores do game. Então, afinal de contas, por que criamos o hábito de assoprar os cartuchos e por que eles milagrosamente pareciam funcionar? A ciência tem uma resposta.

Segundo o programa It's Okay to be Smart da emissora norte-americana PBS, tudo não passa de uma pegadinha do nosso cérebro, que está sempre tentando criar padrões para as coisas que fazemos no nosso dia a dia. Embora tenhamos evoluído ao longo dos últimos milhares de anos, a nossa caixola ainda funciona basicamente da mesma forma que a dos nossos ancestrais. Portanto, temos a tendência de acreditar que se uma coisa não está dando certo e de repente passa a dar depois de fazermos algo, é esse "algo" o responsável por fazer com que tudo funcione.

E é exatamente isso o que acontecia com os cartuchos de videogames e as assopradas que dávamos nele. Nunca ninguém disse a você o motivo de assoprá-los – você simplesmente via as pessoas fazendo isso e os cartuchos funcionando e pronto, repetia em casa do mesmo jeito. No fim das contas, parece mesmo que não estávamos tirando a poeira dos conectores coisa nenhuma, era apenas o nosso cérebro buscando um viés de confirmação.

Veja o vídeo com a explicação completa do fenômeno acima.

Se sentiu nostálgico depois dessa? Então reviva alguns bons momentos de antigamente nos links abaixo:

Fonte: http://www.slashgear.com/science-explains-why-we-blow-in-game-cartridges-04336434/

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.