Pitty diz que fez 'o melhor possível' na dublagem brasileira de Mortal Kombat X

Por Redação | 20.04.2015 às 09:33
photo_camera Divulgação

Há cerca de uma semana chegou às lojas do Brasil e do mundo o mais recente game da franquia Mortal Kombat. Bem avaliado pela crítica internacional, o jogo traz uma lista dos melhores Fatalities de todos os tempos, mas não é só pela violência exagerada que o título tem chamado atenção - especialmente aqui entre os brasileiros. A dublagem nacional tem sido alvo de polêmica desde antes do lançamento do jogo, mais especificamente por conta da voz da cantora Pitty Leone no papel de Cassandra (ou Cassie) Cage.

Não faz muito tempo, a Warner revelou que a artista emprestaria sua voz para dublar a filha de Sonya Blade e Johnny Cage. No entanto, fãs da série não aprovaram o trabalho da roqueira baiana - que, convenhamos, ficou a desejar não apenas pela falta de entonação nas falas, mas por erros grotescos de tradução. Em sua defesa, Pitty declarou em um evento na última quinta-feira (16) que fez o melhor possível para entregar um bom resultado.

"Fui convidada para um projeto que eu me amarro, sou fã desse jogo e fiz a minha parte o melhor possível, com todo o amor que eu tenho, com todo o respeito que eu tenho com os fãs de videogame. As pessoas precisam saber separar as coisas, elas têm o direito de gostar ou não", comentou. "Acho importante para quem critica entender como funciona o processo de se fazer um jogo. As pessoas acham muito que é minha responsabilidade 'porque é a Pitty'".

Pitty ainda disse que, embora tenha sido convidada para o projeto, não é de sua responsabilidade o texto, a direção ou a edição do processo de dublagem. "Descobri tudo lá no dia da gravação, era minha primeira experiência, não sabia como fazia. Tinha o texto na frente, a tela do lado e eles [o pessoal da direção] dizendo: 'Faz assim, faz assado, a inflexão é mais ou menos assim, vamos reduzir essa palavra', então eu meio que fiz", afirmou.

Com bom humor, Pitty também declarou que não sabe se aceitaria reprisar o papel de Cassie Cage em outro jogo de Mortal Kombat, caso a lutadora apareça novamente. "Não sei, acabei de fazer esse. Vocês estão muito lá na frente, gente", disse.

Além de pequenos erros na tradução, como "Eu tenho isso" ao invés de "Eu cuido disso" (para a frase "I've got this"), as falas de Cassie dubladas pela cantora não possuem uma entonação que combine com a personagem, filha dos veteranos Sonya Blade e Johnny Cage, presentes desde os primeiros jogos da série. Outro detalhe é que uma das introduções da lutadora faz menção à música "Equalize", de Pitty, na qual Cassie faz piada ao dizer "Eu acho que vou equalizar a sua cara".

A Warner Bros., distribuidora do jogo no Brasil, ainda não se manifestou sobre o caso. Mas, ao que tudo indica, a empresa conseguiu alcançar o marketing desejado para Mortal Kombat X, uma vez que grandes portais de notícias - até aqueles que não costumam falar sobre games e tecnologia - deram manchete sobre a dublagem de Pitty no jogo. Essa, inclusive, não foi a primeira dublagem a gerar polêmica pela má qualidade das falas em português.

Em março, Battlefield Hardline, outro game distribuído pela Warner no Brasil, foi duramente criticado pela voz do protagonista da campanha single player, o policial Nick Mendoza, que no país foi dublado por Roger Moreira, vocalista da banda Ultraje a Rigor. A voz do cantor também não combinou com Mendoza e foi praticamente ofuscada por dubladores profissionais que cuidaram de outros personagens.

Com legendas, menus e dublagem em português, Mortal Kombat X possui versões para PC, Xbox One e PlayStation 4, além de plataformas com sistemas operacionais iOS e Android. Uma versão para PlayStation 3 e Xbox 360 chegará com alguns meses de atraso, provavelmente entre junho e agosto.

Fonte: UOL Jogos