Diretor de Kingdom Hearts 3 revela que jogo não existiria sem Pixar e Toy Story

Por Jessica Pinheiro | 07 de Janeiro de 2019 às 14h25

Kingdom Hearts é uma franquia bastante famosa pelos seus crossovers entre as inúmeras animações da Disney e os personagens mais queridos da série Final Fantasy, da Square. O segundo game foi lançado em 2005 e o terceiro título da saga sairá no final de janeiro de 2019, e, ao que tudo indica, será o capítulo de conclusão dessa jornada, trazendo vários novos mundos ambientados em obras famosas, tais como Frozen, Big Hero 6, Enrolados, Piratas do Caribe, dentre outros, além de Toy Story e Monstos SA, que são de propriedade da Pixar.

E é só porque o jogo contará com os mundos dessas animações que ele de fato existe, de acordo com Tetsuya Nomura. Segundo o diretor do game em uma entrevista para a revista EDGE de fevereiro de 2019 (edição 328), sua prioridade era incluir as propriedades em questão no terceiro título numerado, em especial Toy Story. Ele revelou que disse à Disney antes do desenvolvimento começar que, caso ele não pudesse incluir os mundos da Pixar, não seria interessante produzir Kingdom Hearts 3.

“Depois que terminamos Kingdom Hearts II e começamos a considerar o III, começamos a conversar com a Disney. Lembro-me de dizer: ‘Se não pudermos usar a Pixar, então não poderemos ter um terceiro jogo’”, revelou Nomura. “É muito importante para os jogos da série. O mundo inteiro ama Toy Story – todo mundo sente o apelo dessa história e daqueles personagens. Então, no começo eu disse diretamente a eles: ‘Se não conseguirmos isso, eu não quero fazer [o jogo]”.

Nomura também discutiu o uso das propriedades com a própria Pixar e descreveu o quão colaborativo foi o processo, quando comparado com os títulos anteriores da série. “Eu escrevi um esboço geral da história e apresentei à Pixar. Levaram vários anos para que a história e os desenhos dos personagens fossem bem definidos”, afirmou Nomura. “Antes de Kingdom Hearts III, eu acho que as empresas enxergavam mais como permissões de direitos secundários. Eles viram isso mais como um produto do que como um brinquedo de marca ou algo assim”.

“Desta vez, foi de criador para criador”, continuou o diretor do jogo. “Foi com alguém que fez essas animações e com alguém que estava fazendo esse jogo. Estávamos nos comunicando uns com os outros, eu e essas pessoas, de modo que adicionamos um nível extra de complexidade, porque cada criador tem seus próprios desejos, ideias e conceitos”.

Kingdom Hearts III será lançado em 29 de janeiro para PlayStation 4 e Xbox One.

Fonte: Gaming Bolt

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.