Atualização do Ubuntu fará Steam abandonar o sistema operacional

Por Rafael Arbulu | 24 de Junho de 2019 às 13h43
Reprodução

A Steam não vai mais continuar a oferecer suporte ao Ubuntu, e a culpa disso é da própria plataforma baseada em Linux: a próxima atualização do sistema operacional deixará de oferecer atualizações de segurança para componentes x86 de 32 bit, efetivamente forçando a Valve Corporation, dona do maior marketplace digital de jogos do mundo, a abandonar a plataforma.

A Canonical, empresa que desenvolve e lança o Ubuntu no mercado, atraiu a ira de desenvolvedores de aplicações ao abandonar o suporte aos pacotes 32 bit de aplicações. A argumentação é a de que softwares baseados nessa tecnologia, por mais que rodem nas arquiteturas de 64 bit, devem parar de rodar com o tempo, cortesia da ausência de atualizações de segurança e patches de correção. O mesmo entendimento permeia-se por gamers que usam Linux para jogar no PC: ainda que jogos rodem normalmente dentro da arquitetura 64 bit, a Steam trabalha com bibliotecas de componentes 32 bit. Isso deve fazer com que boa parte dos jogos deixe de funcionar nas máquinas atualizadas pela nova versão do sistema.

“A empresa está avaliando formas de minimizar a quebra [de aplicações] para usuários já existentes”, disse via Twitter o desenvolvedor da Valve, Pierre-Loup Griffais. Porém, ele confirma que a Valve Corporation estará à procura de novas distribuições para usuários Linux.

O Ubuntu é a distribuição baseada em Linux mais popular da atualidade, criada especificamente para atender aos usuários mais casuais dos sistemas operacionais desenvolvidos a partir da programação desenvolvida por Linus Torvalds e Richard Stallman. Também tem ampla adoção por empresas por ser uma das distribuições mais fáceis de serem customizadas.

Segundo o site Statista, a base de usuários da Steam que usam Ubuntu corresponde a 0,26% de seu total. Em 2018, a Valve relatou possuir cerca de 90 milhões de usuários ativos mensais na loja virtual, então, pela matemática básica, o Ubuntu responde por aproximadamente 250 mil. Ainda que o número seja pequeno em termos de mercado, a Valve não se sente confortável com a ideia de abrir mão deles.

O site Phoronix, direcionado a entusiastas do Ubuntu, tentou esclarecer que a Canonical vai se certificar de que aplicações em 32 bit continuem a rodar normalmente nas futuras atualizações do sistema operacional, mas em meio às preocupações dos usuários e o anúncio da Valve, a promessa acabou passando batida. Há ainda a preocupação com o suporte ao Wine, aplicação do Ubuntu que permite que o sistema rode softwares desenvolvidos para Windows.

A medida deve ferir os negócios da Valve, que vem tentando conquistar e ampliar as bases de usuários em Linux. Atualmente, menos de 1% dos usuários da Steam fazem uso dos sistemas operacionais abertos e, dada a popularidade do Ubuntu, esse número pode diminuir bastante no futuro.

Fonte: Twitter; Statista; Phoronix

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.