Chromecast reduz resolução do modo ambiente para frear consumo de internet

Por Wagner Wakka | 16 de Abril de 2020 às 09h33

O Google diminuiu a resolução do conteúdo exibido pelo modo ambiente do Chromecast para aliviar a pressão sobre a infraestrutura de dados em todo o mundo. Diferentemente do conteúdo que é consumido ativamente pelo usuário, o modo ambiente entra em ação quando o dongle está ocioso e passa a exibir fotos e conteúdo personalizado associados à conta do usuário.

Com a medida para reduzir a qualidade desse conteúdo, o Google espera aliviar o aumento por demanda de internet em várias partes do mundo devido ao isolamento social em função da COVID-19.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Em comunicado, a companhia afirmou que a proposta é privilegiar ligações. “Para responder a uma necessidade global de priorizar banda de internet para ensino e trabalho, nas próximas semanas faremos mudanças para reduzir a utilização de internet e manter as pessoas conectadas”, explicou Grace Y, funcionária da companhia.

“Mudamos a velocidade do slideshow de fotos no Modo Ambiente no ChromeCast e outras telas e reduzimos levemente a resolução das imagens. Essas mudanças podem até não ser notáveis, mas acreditamos que ajudará a melhorar a velocidade de internet nas residências e comunidades. Quando os recursos de internet estiverem menos inundados, vamos retornar essa configuração ao estágio anterior”, completou.

O Google já realizou outras medidas para reduzir a demanda por banda larga, como colocar as definições do YouTube em 720p por padrão e reduzir a qualidade de vídeos em outros produtos.

Embora a demanda por internet tenha crescido em todo mundo, no Brasil houve pouca variação, segundo dados do IX.br, projeto do Comitê Gestor da Internet no país. Contudo, de acordo com dados do Cloudfire, regiões da Europa já sentiram aumentos de 20% de tráfego com as pessoas em casa. Na Itália, uma das regiões mais afetadas e com restrições maiores de locomoção, a alta foi de 40%.

Fonte: Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.