Review Sennheiser HD 560S | O fone com som neutro que surpreende até audiófilos

Por Jucyber | Editado por Luciana Zaramela | 26 de Maio de 2021 às 13h50
Ivo/Canaltech

O mercado de áudio possui diversas marcas que se destacam pela qualidade do produto que oferecem, e a Sennheiser é uma delas. Com a chegada do novo modelo de fone HD 560S, a empresa demonstra uma sonoridade surpreendente para a faixa de preço do produto.

Com isso, o aparelho está chamando cada vez mais a atenção de audiófilos, que estão cada vez mais curiosos em relação ao som considerado como neutro, fidedigno ao que é emitido pelos instrumentos e vozes de uma canção.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quer saber se este fone é tudo isso que estão comentando por aí? Então, confira a análise completa!

Prós

  • Som neutro e de alta qualidade
  • Almofadas confortáveis
  • Indicador de posição em Braille
  • Ótima opção para quem toca instrumentos musicais

Contras

  • Adaptador P10 / P2 conectado ao fone cria um peso extra
  • Haste com sensação de fragilidade
  • Cabo com aspecto frágil

Design e Construção

Este fone traz o formato over-ear, que se encaixa por cima das orelhas, dando um conforto maior no uso, principalmente para quem não se adapta bem aos intra-auriculares.

Visualmente, ele lembra bastante outros modelos da marca, como o HD 569, HD 598 e HD 599, que são da mesma categoria, mas possuem algumas diferenciações na qualidade que dão sentido para a existência deles.

Ele tem 240 gramas, um peso que eu considero OK para a categoria, mas isso é justificado pelo fato da construção geral dele ser em plástico, um material que tende a reduzir o peso geral dos equipamentos.

Além do fone, na embalagem é possível encontrar um cabo com conexões de 2,5 mm em uma ponta e P10 na outra, que pode ser plugada em mesas de som, interfaces de áudio, amplificadores e instrumentos musicais.

O material aveludado e acolchoado aplicado nas almofadas transmite ainda mais maciez no uso, principalmente por longas horas. Na haste ele também tem um forro fofinho para dar mais comodidade.

Almofada revestida em veludo do Sennheiser HD 560S (Imagem: Ivo/Canaltech)

Como ponto positivo, um diferencial que passa desapercebido para a maioria: o fone traz inscrições em Braille no lado esquerdo, onde a letra “L” na linguagem voltada para cegos ajuda a identificar o posicionamento correto do fone, sendo um recurso de acessibilidade interessante feito pela empresa, não só no HD 560S, mas também em outros acessórios.

Porém, um grande ponto negativo é o tipo de plástico que reveste o Sennheiser HD 560S, porque ele parece ser de uma qualidade inferior ao esperado para essa categoria, tanto que arranha com certa facilidade, algo preocupante para quem investe um valor considerável por este produto.

Além disso, o formato das hastes dá uma sensação de fragilidade que incomoda, pois quem possui a cabeça mais larga pode sentir como se ele fosse quebrar na hora de usar — uma clara falta de ergonomia.

Qualidade de som

Quem gosta de áudio vai perceber um perfil sonoro bastante linear no Sennheiser HD 560S, no qual agudos, médios e graves se mesclam com naturalidade, dando fidelidade ao som que está sendo reproduzido.

A construção dele ainda conta com um driver de “refinamento acústico ergonômico”, que tem como propósito entregar um som de alta fidelidade, e este é o diferencial sonoro que faz dele uma ótima opção nesta faixa de preço.

Porém, essa sensação fica mais perceptível em músicas via streaming. Ao plugá-lo em instrumentos musicais, o perfil fifica diferente: falta um pouco de grave para dar corpo e peso às cordas do violão, por exemplo. Algo que é natural nos fones da Sennheiser, principalmente se você for usá-los como retorno na hora de tocar ou gravar algum instrumento.

Ao ouvir canções de bandas de rock dos anos 1970 e 1980, como o Queen, fica fácil identificar os instrumentos usados na gravação. É bacana sentir o momento de alternância entre pratos na bateria, nuances do contrabaixo e de outros instrumentos de corda.

Ele é do formato aberto, e isso já se transforma em ponto negativo aos que preferem um som mais isolado, como outras opções da empresa proporcionam. Mas, é preciso ter em mente que o fato de ser aberto não o deixa inferior, pois o uso dele é melhor aproveitado em ambientes internos, onde não existe tanta interferência por padrão.

Eu não sou audiófila, toco violão e ukulele por hobbie. Mas, existem especialistas que relatam a falta de médio que daria um realismo maior de “banda ao vivo”, e isso realmente dá para sentir melhor ao usá-lo com um instrumento musical. Não gosto muito de tons médios, sou mais fã de graves, porém, não sinto que ele force para uma pegada mais pesada. É a assinatura da marca.

Dentro da minha percepção musical, que eu considero amadora, foi interessante testar um modelo com este perfil sonoro, pois consegui perceber detalhes que interessantes no áudio, como o tipo de corda usado em determinada música, se está com capotraste ou só usando outra afinação. 

Ficha técnica

  • Impedância: 120 Ω
  • Frequência de resposta: 6 Hz a 38 kHz (-10 dB)
  • Nível de pressão sonora (SPL): 110 dB (1 kHz / 1 V RMS)
  • THD, distorção harmônica total: < 0.05 % (1 kHz / 90 dB SPL)
  • Plugue: 6,35 mm com adaptador de 3,5 mm
  • Princípio transdutor: dinâmico, aberto
  • Peso sem o cabo: 240 g
  • Material do pad de orelha: Veludo

Acessórios

No cabo de 3 metros, que é destacável, o material utilizado me incomoda para uso em longos períodos. Pensando no longo prazo, nylon trançado seria mais agradável, já que o transporte frequente não aumentaria o risco de romper.

Um acessório interessante disponibilizado em conjunto com o Sennheiser HD 560S é o adaptador de P10 para P2, entregando uma entrada de 3,5 mm para uso em equipamentos compatíveis com este formato de conexão.

A presença desse adaptador torna o uso ainda mais versátil, oferecendo a oportunidade de usar o fone em notebooks e celulares, já que existem alguns streamings de áudio que podem ser experimentados com um equipamento premium, como é o caso desse aparelho.

Adaptador P10 / P2 do Sennheiser HD 560S (Imagem: Ivo/Canalteh)

O peso desse plugue adicional pode incomodar quem vai se locomover com o fone, não digo para exercícios físicos, pois o uso dele não é recomendável para este tipo de atividade, mas para ir da sala ao escritório ou da cama para outro cômodo da casa.

Sem contar que o tamanho ainda pode ser considerado um agravante para o tempo de vida do cabo, pois o peso adicional pode afetar a resistência do fio e fazê-lo arrebentar com maior facilidade.

O tempo todo em que testei, tive a sensação de que o cabo ia arrebentar por causa do adaptador P10 / P2, e isso é preocupante demais para o usuário que investe quase R$ 2.000 no fone.

Concorrentes diretos

Em comparação visual, o Sennheiser HD 560S é muito próximo de outro modelo da fabricante, o HD 599. Porém, o que possui a numeração mais alta ganha nesse aspecto por ter uma construção mais premium e isso ajuda a dar mais conforto.

Já em qualidade sonora, o HD 560S ainda é a melhor alternativa para quem gosta da sonoridade neutra prometida e entregue por este fone de ouvido. Os graves estão mais presentes, mas o equilíbrio de tons é o que realmente chama a atenção.

Quem tem interesse em headphones com uma popularidade maior que a qualidade, como é o caso do Beats Solo 3, gastar um pouco mais de dinheiro e comprar um equipamento que realmente faça sentido é a melhor opção.

A Sennheiser ainda possui outras opções dentro da linha 500 que competem diretamente com ele, mas o 560S ainda tem uma reprodução mais próxima do trabalho de captação feito para gerar o conteúdo digital.

Para quem toca em banda e precisa de um equipamento que entregue realismo desejado para sentir com sintonia todos os instrumentos, é melhor buscar uma alternativa, como o HD 600 ou HD 650S.

Conclusão

O fone Sennheiser HD 560S consegue entregar um som surpreendente em qualidade e realismo. Para quem está interessado em um equipamento próximo do desempenho entregue por alternativas profissionais, ele é uma ótima opção.

Em mídia digital, mesmo quem não é audiófilo sentirá uma diferença no momento de escutar músicas ou sons que misturem elementos de diferentes tonalidades, identificando com clareza o que está sendo executado.

Para músicos amadores, o conector P10 ajuda a dar mais intimismo para o som que está sendo dedilhado em guitarra ou violão. Porém, ainda existe a possibilidade de explorar outras opções via amplificador e outros equipamentos de áudio.

Na prática, o Sennheiser HD 560S é capaz de atender diferentes públicos, sendo uma das opções mais competentes dentro dessa faixa de preço, mesmo comparando com outros modelos da linha que são desenvolvidos pela marca.

Atualmente ele está sendo comercializado por R$ 1.650, um preço alto para a realidade de muitos brasileiros. Porém, tendo em vista o propósito dele e a alta durabilidade, é o valor embutido que pode inclinar o usuário a escolher esta opção.

Gostou do Sennheiser HD 560S? Então, confira a oferta que separamos para você no link abaixo:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.