GDC 2020 é cancelada por preocupações com o coronavírus

Por Rafael Arbulu | 02 de Março de 2020 às 13h10
Venture Beat

O Covid-19, popularmente conhecido como “Coronavírus”, segue em sua tendência de impactar a indústria global, desta vez impedindo a realização de mais um evento: depois do MWC 2020, da Conferência F8 do Facebook e até do Salão do Automóvel de Genebra, as preocupações com a doença levaram a organização da Game Developers Conference (GDC) 2020 a cancelar o evento.

A decisão foi tomada depois que empresas expositoras da conferência, como Sony, Microsoft e diversas outras, optaram por não comparecerem à ocasião em função de suas preocupações com o Covid-19. "Depois de uma consulta muito próxima com nossos parceiros na indústria do desenvolvimento de jogos e a comunidade global, nós tomamos a difícil decisão de adiar a Game Developers Conference prevista para o mês de março”, disse a organização.

"Depois de passar o ano passado nos preparando para o show com nossos painelistas, palestrantes, expositores e parceiros de evento, nós estamos genuinamente chateados e desapontados por não poder recebê-los neste momento”, dizia um outro trecho do comunicado.

GDC 2019, mostrando os estandes da Microsoft e Sony: ambas as empresas anunciaram suas ausências da edição de 2020 da feira, por causa do "coronavírus"

Como forma de compensação, a organização está prometendo uma espécie de “mini GDC” para o verão americano, que corresponde ao período entre junho e setembro deste ano, mas não ofereceu uma data exata. Ademais, essa realização deve ser bem menor em escopo, com muitas das palestras e painéis sendo entregues online, via streaming, assim como fez o MWC este ano. Ademais, pela GDC ser um evento pago, ainda não se sabe se essa versão "pocket" da feira terá alguma restrição financeira em seu acesso.

A organização ainda assegurou que reembolsos serão feitos aos presentes, ainda que a janela comum de pedidos para ressarcimento já tenha sido fechada: a saber, o preço de entrada da GDC é de US$ 249 (R$ 1.113,79) para um passe básico — que confere acesso a painéis abertos e atrações variadas —, e US$ 2.399 (R$ 10.730,86) para ingresso all access, que permite a visita a todas as atrações da feira. A devolução dos valores deve impactar o lado financeiro da organização de forma contundente.

A Game Developers Conference é um dos eventos de maior prestígio da indústria mundial dos videogames, com foco específico para desenvolvedores do ramo, com a imprensa de todo o mundo comparecendo em peso à cidade de São Francisco, onde a feira é realizada. Este ano, porém, devido à crescente onda do “coronavírus”, uma série de empresas decidiu não comparecer, entre elas a Activision Blizzard, Iron Galaxy Studios, Gearbox, Modus Games e Amazon, além das já citadas Sony e Microsoft.

O impacto não para por aí, já que empresas de relações públicas e assessorias de imprensa a serviço das companhias expositoras já haviam iniciado conversas de relacionamento com a imprensa, alocando reservas de hotéis e passagens de avião (para quem não fosse da cidade). Canais renomados do setor, como Kotaku, Polygon e The Verge, já haviam anunciado suas ausências da feira este ano, citando o Covid-19 como motivo.

"Neste ponto, temos que considerar se a GDC vai de fato acontecer (eu provavelmente vou pular essa)" — Jason Schreier, editor do Kotaku

"Infelizmente, o Polygon não irá para a GDC este ano. Nós priorizamos a saúde e bem-estar de nossa equipe acima de tudo, e não queremos tomar riscos desnecessários. Nos vemos em São Francisco no ano que vem!" — Chris Plante, do Polygon

"Um aviso a todo o pessoal da GDC me chamando para tomar umas/um café: nós decidimos não ir também. Estou extremamente triste! É a primeira vez desde 2013 que não estarei na GDC, que é de longe a minha conferência favorita" — Megan Farokmanesh, do The Verge

Um executivo a serviço de uma desenvolvedora falou à VICE sob condição de anonimato, dizendo que ele chegou a oferecer o custeamento de viagens e hospedagem de jornalistas do próprio bolso, sendo que ele já estava bancando os valores de seus executivos palestrantes. Entretanto, havia a possibilidade de que, quem comparecesse, acabasse tendo de trabalhar em regime home office, de suas casas, por um tempo, quando retornassem da feira.

Adicione a isso o fato de que nem todos os custos relacionados a viagens podem ser reembolsáveis, já que isso depende do hotel onde foi feita a reserva: a GDC tem parceria com alguns, mas certas acomodações podem ter sido arranjadas entre assessorias e veículos de mídia, fora do contexto de parceria com a GDC. Para quem acomodasse as mídias pela rede parceira da organização, já foram prometidos reembolsos totais.

E ainda pode piorar...

Com o cancelamento da GDC, os olhos da indústria agora se voltam para o próximo grande evento do calendário gamer: a E3 2020, prevista para acontecer em junho deste ano, na cidade de Los Angeles, estado norte-americano da Califórnia. O problema: na semana passada foi confirmado mais um caso de infecção pelo “‘coronavírus” no norte do estado e este, ao contrário dos anteriores, possui “origem desconhecida”, segundo as autoridades de saúde.

A E3 já vinha perdendo participantes desde antes da epidemia do Covid-19, já que a Sony e diversas outras empresas não haviam participado na edição de 2019 (a gigante japonesa, inclusive, já tinha confirmado sua ausência este ano também, bem antes da chegada do vírus). Com a disseminação da doença tomando proporções cada vez maiores, embora a ESA (organização por trás da E3) não tenha comentado nada oficialmente, já existe uma preocupação do proceder do evento nos bastidores.

Fonte: VICE

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.