Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

CS: GO | Times brasileiros deixam Polônia em meio a conflitos na Ucrânia

Por| Editado por Bruna Penilhas | 24 de Fevereiro de 2022 às 13h19

Link copiado!

Divulgação/Imperial
Divulgação/Imperial

Times brasileiros profissionais de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) que participavam de campos de treinamento na Polônia, anunciaram, nesta quinta-feira (25), que vão deixar o país após a escalada dos conflitos no Leste Europeu. Nesta madrugada, o presidente russo Vladimir Putin autorizou uma investida militar na Ucrânia, país que faz fronteira com a Polônia.

As equipes da MIBR e Imperial participavam de treinamentos em Varsóvia, a 800 km de Kiev, capital ucraniana alvo de ataques militares. Os campeões mundiais da MIBR estavam em preparação para disputas importantes do calendário de CS:GO, como o Regional Major Rankings (RMR) das Américas.

Nas redes sociais, a MIBR anunciou nesta manhã que deixará a Polônia. “Seguindo os acontecimentos na Ucrânia, estamos antecipando o nosso retorno ao Brasil. Acreditamos que essa é a melhor decisão a ser tomada no momento”, escreveu. O primeiro time brasileiro campeão mundial de Counter-Strike irá disputar as primeiras fases do RMR no Brasil.

Continua após a publicidade

Já a Imperial, após declarar que iria avaliar a permanência na Polônia ainda nesta quarta, também comunicou que deixará o país. “Estamos organizando tudo para voarmos ainda hoje e retornar ao Brasil”, escreveu o técnico Ferrer.

As equipes brasileiras estavam no país para acompanhar e participar de treinamentos durante a Intel Extreme Masters (IEM). Um dos principais torneios de CS:GO e de StarCraft II do mundo realiza suas rodadas finais na cidade polonesa de Katowice.

Mesmo com os conflitos no Leste Europeu, a organizadora do evento, a ESL, declarou que não adiará a competição. “Estamos monitorando de perto a situação na Ucrânia. Nossa prioridade atual é apoiar os jogadores, o talento e as equipes que podem ser afetadas. Os torneios SC2 e CS:GO continuarão conforme planejado”, publicou.

Um dos times que participam das finais da disputa do jogo de tiro, a ucraniana NAVI escreveu que irá abandonar a competição. “A Rússia atacou a Ucrânia. E agora, temos hostilidade que leva vidas humanas e destrói destinos no território da nossa nação. É impossível durante essa guerra, fingir que tudo está bem. Não está. Estamos devastados. Nosso maior objetivo agora é ficarmos calmos e seguros, junto com as pessoas que amamos e aqueles que precisam de ajuda. Estamos todos juntos nessa e juntos iremos vencê-la”, publicou a equipe formada por russos e ucranianos.

Continua após a publicidade

Mais de 40 soldados ucranianos morreram e dezenas de civis ficaram feridos nas primeiras horas da ofensiva russa à Ucrânia. Os ataques ordenados de Moscou bombardearam sistemas de defesa e bases militares ucranianas, enquanto o exército terrestre invade o país pelas fronteiras norte e nordeste. Os ataques obrigaram civis a fugirem da capital Kiev e procurarem refúgio em estações do metrô.

Melhor jogador de Counter-Strike: Global Offensive do mundo, o atual campeão mundial e ucraniano Oleksandr "s1mple" se mostrou consternado nas redes sociais com a declaração de guerra. “Minha cidade está sendo bombardeada neste momento”, publicou s1mple, que nasceu em Kiev. O jogador está na Polônia para disputar a IEM Katowice.

Continua após a publicidade

A Rússia lançou uma invasão total da Ucrânia, configurando o maior ataque de um Estado contra outro na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Os confrontos ocorrem na capital Kiev e em pelo menos outras 15 regiões ucranianas. O presidente do país, Volodymyr Zelensky, autorizou a população a pegar em armas para defender a Ucrânia.

Com informações de: GE, Agência Brasil, CNN Brasil