Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox

Por Rafael Rodrigues da Silva | 21 de Agosto de 2019 às 20h10
Sergio Oliveira
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

Ao longo de todo o mês de agosto, temos descoberto que funcionários ligados a algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo estão escutando nossas conversas sem que fiquemos sabendo e, nesta quarta-feira (21), descobrimos que não estamos salvos nem mesmo quando vamos jogar videogame.

Segundo revelação feita por alguns funcionários terceirizados da Microsoft, o problema com a empresa mais uma vez tinha relação com a Cortana. No começo deste mês, já foi revelado que as interações com a assistente virtual através do Windows era monitoradas por terceirizados, e agora descobrimos que aquelas que partiam dos consoles Xbox também passavam pelo mesmo monitoramento.

De acordo com uma reportagem da Vice, funcionários terceirizados da Microsoft também faziam o monitoramento de qualquer comando de voz gravado pelo Xbox — e isso desde o Xbox 360, antes da existência da assistente virtual nos consoles da marca. O sistema deveria gravar os comandos de voz apenas quando o usuário ativasse a Cortana por comandos específicos, e os funcionários deveriam ouvir a interação para medir a qualidade da resposta da IA, mas a reportagem revelou que diversas vezes os aparelhos habilitavam sozinhos os comandos de voz, e os funcionários tinham acesso então a conversas pessoais dos donos dos videogames.

Em comunicado oficial, a Microsoft afirmou que deixa claro em suas políticas de uso que as interações feitas por comando de voz em seus aparelhos podem ser revisadas por funcionários para efetuar o controle de qualidade dessas interações, e que recentemente atualizou a política de uso de seus equipamentos para tornar mais clara essa coleta e revisão das interações.

Além da Microsoft, a Apple, Google, Amazon e Facebook também possuem práticas parecidas para a melhoria de seus algoritmos de IA, e têm sofrido com a pressão pública desde que essas práticas foram reveladas. Até o momento, Apple, Facebook e Google já avisaram que estão interrompendo temporariamente a revisão das interações até que uma solução positiva para todas as partes seja encontrada, enquanto a Amazon vai permitir que os usuários optem em não ter suas conversas com a Alexa gravadas para a melhoria do produto.

Fonte: Vice

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.