Veja o cometa NEOWISE, um meteoro, a aurora boreal e mais em uma só foto!

Veja o cometa NEOWISE, um meteoro, a aurora boreal e mais em uma só foto!

Por Danielle Cassita | 21 de Julho de 2020 às 23h30
Donna Lach

O cometa C/2020 F3 NEOWISE - que acaba de chegar ao céu brasileiro e começa a ser observado na região Norte do país - foi registrado no Canadá bem acompanhado em uma foto incrível: além dele, a imagem registrou também uma aurora boreal, o fenômeno STEVE e um meteoro.

O registro foi feito por Donna Lach, uma fazendeira canadense apaixonada por auroras boreais. Ela é voluntária do projeto Aurorasaurus, patrocinado pela NASA, e descobriu o fenômeno STEVE em 2016. Para fotografar o cometa, Lach conta que acompanhou a previsão do tempo nos últimos dias, que já vinha anunciando a ocorrência da aurora boreal.

O meteoro está indicado na parte de cima da foto, o STEVE do lado esquerdo e o cometa Neowise no lado direito (Imagem: Donna Lach)

Por volta das 23 horas no horário local, o cometa já estava acima do horizonte, enquanto a aurora brilhava pelo céu. Quase uma hora depois, o STEVE apareceu um pouco mais distante do cometa, mas perto o suficiente para ser fotografado. Ela estava pronta para registrar a aurora e o cometa, sendo que o STEVE e o meteoro foram as grandes novidades da noite. "Fiquei maravilhada de ver que podia fotografar a área desde o STEVE até o NEOWISE". Para Lach, foi uma noite incrível que ela jamais irá esquecer.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O nome STEVE é, na verdade, uma sigla que significa Strong Thermal Emission Velocity Enhancement ou "fortalecimento de velocidade de forte emissão térmica", em tradução livre. Trata-se de um fenômeno que é alvo de discussões entre pesquisadores, pois ainda não sabemos muito sobre sua formação, mas um estudo publicado na revista Geophysical Research Letters sugere que o STEVE possa se originar de processos ionosféricos.

Fonte: Business Insider 

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.