Siga o @canaltech no instagram

Ultima Thule gira como se fosse uma ampulheta espacial

Por Patrícia Gnipper | 17 de Janeiro de 2019 às 10h00
Thoth3126
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Ultima Thule, ou 2014 MU69, é um objeto transnetuniano localizado no Cinturão de Kuiper. Descoberto em 2014, ele recebeu a visita da sonda New Horizons no primeiro dia de 2019, com os dados e imagens a seu respeito chegando a todo momento para a equipe da missão da NASA. Agora, novas imagens mostram que o objeto, cujo formato é parecido com um boneco de neve, gira no espaço como se fosse uma ampulheta.

Nesta semana, os pesquisadores da New Horizons divulgaram uma animação mostrando a rotação da rocha que tem apenas 30 km de extensão e fica a cerca de 4 bilhões de km da Terra (1 km além de Plutão, planeta-anão que a New Horizons estudou em 2015).

A animação abaixo foi criada a partir de uma série de 13 imagens que revelam a rotação de Ultima Thule, cujo período de rotação completo é de cerca de 16 horas. De acordo com comunicado oficial, "a equipe científica da New Horizons usará essas imagens para ajudar a determinar a forma tridimensional de Ultima Thule, a fim de entender melhor sua natureza e origem".

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
(Imagem: NASA)

Ultima Thule é o objeto mais primitivo do Sistema Solar do qual a humanidade já se aproximou, com a rocha permanecendo em sua distante órbita do Sol por bilhões de anos desde sua formação. Estudar o objeto, então, significa que ele pode ajudar a resolver alguns mistérios sobre a história do Sistema Solar, que tem 4,5 bilhões de anos de idade.

A New Horizons, apesar de já ter passado do objeto, ainda nos enviará dados pelos próximos dois anos. Entre outros motivos, a longa distância entre a sonda e a Terra faz com que cada bit de dados transmitidos leve mais de seis horas para chegar às antenas da Terra, e adicione mais um tempo para que os pesquisadores da missão processem, analisem e divulguem esses dados. Por isso, a demora. Imagens coloridas e em alta resolução de Ultima Thule estão previstas para o mês de fevereiro, por sinal.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.