Publicidade

Tempestade solar chega à Terra antes do previsto

Por| Editado por Patricia Gnipper | 19 de Setembro de 2023 às 09h18

Link copiado!

NASA/SDO/AIA
NASA/SDO/AIA

Após alguns dias de calmaria, as tempestades solares voltaram a atingir nosso planeta graças a ejeções de massa coronal durante o fim de semana. A previsão era que uma tempestade geomagnética moderada chegasse à Terra na terça-feira (19), mas ela se antecipou e atingiu a Terra um dia antes.

No domingo (17), o impacto de ventos solares no campo magnético da Terra resultou em algumas auroras boreais, mas não foi forte o suficiente para causar interferências em sinais de comunicação. Esses ventos de plasma são fruto de uma ejeção de massa coronal (CME) ocorrida no dia 14 de setembro.

Segundo especialistas, a CME pode estar associada a um halo fraco, fruto da erupção de um filamento que estava localizado entre as manchas solares AR 13425 e 13423. Esta explosão recebeu a classificação M1.4 (média).

Continua após a publicidade

Abaixo, observamos a explosão:

Já a animação abaixo mostra a ejeção de massa coronal que ela causou:

Continua após a publicidade

No momento de redação desta matéria, há seis regiões ativas no lado visível do Sol, com algumas erupções pequenas e fracas nas últimas horas. Não há previsões para eventos mais intensos, ao menos por enquanto.

Ejeção de massa coronal no fim de semana

Um halo de CME foi detectado durante a tarde de domingo (17), mas as chances de suas partículas atingirem a Terra são baixas. Caso isso ocorra, vai ser no dia 21 de setembro, e provavelmente vai ser apenas um golpe de raspão em nosso planeta. Mesmo assim, há a possibilidade de um choque direto acontecer.

Continua após a publicidade

Por fim, outro fenômeno que pode nos enviar uma enxurrada de partículas carregadas são dois pequenos buracos coronais, um perto do equador solar e outro no hemisfério norte. O vento solar enviado por eles deve chegar à Terra entre os dias 19 e 20 de setembro.

Fonte: Spaceweather, CCMC