Sonda Parker Solar é lançada e deve chegar mais perto do Sol do que nunca

Por Natalie Rosa | 13 de Agosto de 2018 às 11h08
NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

A NASA lançou neste domingo (12) a sonda Parker Solar, do Cabo Canaveral, na Flórida, com a promessa de chegar perto do Sol o máximo possível. O lançamento deveria ter acontecido no dia anterior, no sábado, mas problemas de última hora acabaram adiando o evento.

A sonda espacial, além de ter partido com a missão de desvendar segredos do Sol, foi programada para ser o mais rápido objeto criado pelo homem na história. Também, é a primeira vez em que uma sonda é nomeada a partir de uma pessoa viva: o astrofísico Eugene Parker, de 91 anos, o primeiro a apresentar a teoria do vento solar supersônico, ainda em 1958.

Parker Solar decolou a bordo de um foguete Delta-IV Heavy, às 4h31 da manhã. Uma hora depois do lançamento, a NASA confirmou que a sonda havia se soltado com sucesso da nave espacial, partindo em sua missão ao Sol.

Roteiro

A Parker deve se aproximar de Vênus em seis semanas e, então, se encontrar com o Sol pela primeira vez em mais um período de seis semanas. A sonda fará 24 voltas ao redor da estrela para estudar a coroa solar, uma luminosidade composta de plasma que é vista em volta do Sol em eclipses solares. A missão deve durar cerca de sete anos.

A Sonda vai "mergulhar" nessa atmosfera chegando a apenas 6,16 milhões de quilômetros de distância da superfície do Sol. A cientista britânica Nicky Fox explicou à BCC que muitos podem achar que a Parker não chegará tão perto assim, "mas imagine que o Sol e a Terra estão a um metro de distância. A Parker Solar estaria a apenas 4 cm do Sol".

Sobre ser o objeto criado por humanos mais rápido da história, Fox conta que a velocidade percorrida em volta da estrela é de até 690 mil km/h, como se fosse uma viagem de Nova York até Tóquio em menos de um minuto.

Confira algumas imagens do lançamento:

Delta-IV Heavy pronto para decolar (Foto: NASA)
Eugene Parker esteve presente para conferir o lançamento de perto (Foto: NASA)
Início da decolagem (Foto: NASA)
Foguete desaparecendo de vista (Foto: NASA)
Imagem da sonda dentro do foguete Delta-IV Heavy (Foto: NASA)

A temperatura presente na coroa solar varia entre um milhão a três milhões de graus Celsius, muito mais quente que a superfície do Sol, que chega a 5.500 graus Celsius.

O mais perto que já chegamos da estrela foi com a sonda Helios-2, em 1976. NA época, ela chegou a 43 milhões de quilômetros de distância do Sol.

Fonte: BBC, Space

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.