Sonda New Horizons alcança sua maior distância da Terra e "enxerga" a Voyager 1

Por Wyllian Torres | 16 de Abril de 2021 às 11h20
NASA/JHUAPL/SwRI

Neste próximo sábado (17), às 9h42 (horário de Brasília), a sonda New Horizons atinge seu mais novo recorde ao completar a marca de 50 unidades astronômicas do Sol — aproximadamente 7,5 bilhões de km de distância. Além de ser a primeira espaçonave a sobrevoar o planeta anão Plutão, em 2015 — mais de nove anos após seu lançamento, em 2006 —, agora ela compartilha um registro da Voyager 1 nos confins do Sistema Solar. Nunca uma sonda localizada no Cinturão de Kuiper fotografou outra nave ainda mais distante no espaço interestelar.

A sonda New Horizons recebe a posição de quinta espaçonave mais distante no Sistema Solar. Antes dela temos as sondas Voyager 1 e 2 e suas antecessoras, Pioneer 10 e 11. Ela está tão distantes que seus sinais de rádio levam cerca de sete horas para alcançar a Terra, mesmo percorrendo o espaço na velocidade da luz. Para a equipe responsável pela sonda enviar novos comandos, somam-se mais sete horas — ou seja, para que a comunicação entre a nave e nosso planeta seja confirmada, lá se vão 14 horas no total.

A sonda Voyager 1 registrada pela New Horizons, em 25 de dezembro de 2020, a cerca de 18 bilhões de km de distância (Imagem: Reprodução/NASA/Johns Hopkins APL/Southwest Research Institute)

Em comemoração a este marco, a New Horizons — que atualmente passa pelas extremidades do Sistema Solar, no Cinturão de Kuiper — registrou a sonda Voyager 1, que se encontra no espaço interestelar. Embora a luz refletida pela Voyager 1 seja muito fraca para ser percebida na fotografia, a New Horizons sabe sua localização precisa graças ao sistema de rastreamento de rádio da NASA.

O principal investigador da New Horizons, Alan Stern, relata a emoção de acompanhar uma nave saindo da Terra e alcançar grandes distâncias como esta. Boa parte da equipe faz parte dessa missão desde quando era apenas uma ideia. “Mas o mais importante, fizemos muitas descobertas científicas, inspiramos incontáveis ​​carreiras em STEM [ sigla para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em inglês] e até fizemos um pouco de história”, acrescenta Stern.

A New Horizons atinge a marca de 5ª espaçonave mais distante da Terra, rumo ao espaço interestelar (Imagem: Reprodução: NASA/Johns Hopkins APL/Southwest Research Institute)

Lançada em 19 de janeiro de 2006, a New Horizons foi e ainda é o objeto construído por humanos mais veloz já enviado da Terra. O principal objetivo da sonda era estudar o planeta anão Plutão, que nunca havia sido observado de perto, e também objetos do Cinturão de Kuiper — o que cumpriu com grande sucesso. Mas antes disso, foi capaz de observar os fracos anéis de Júpiter. É uma perspectiva única do Sistema Solar, pois a sonda está tão distante de nós que até as estrelas ao fundo são vistas de um ponto de vista bem diferente.

Para nossa mente terráquea, é muito difícil imaginar uma distância tão grande como a que a New Horizons está — 50 vezes a distância entre a Terra e o Sol —, então aqui vai uma dica: pense no Sistema Solar como uma rua e a Terra como a sua casa. O Sol é a “casa” vizinha à sua esquerda, enquanto Marte seria a seguinte à direita, e o gigante gasoso Júpiter estaria quatro casas além. A New Horizons, por sua vez, estaria a 50 casas de distância da sua, na mesma rua — cerca de 17 casas distantes de Plutão.

A New Horizons, após explorar o Cinturão de Kuiper, seguirá viagem rumo aos limites da heliosfera, entrando no espaço interestelar em 2040.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.