Quanto dinheiro a NASA precisa para levar novos astronautas à Lua?

Por Danielle Cassita | 22 de Setembro de 2020 às 13h51
NASA

Nesta segunda-feira (21), a NASA publicou um plano que revela algumas mudanças no programa Artemis, que irá levar astronautas outra vez à Lua em 2024. O orçamento para a realização da fase 1, destinada à missão na Lua, é de U$ 28 bilhões e tem prazo de quase cinco anos. Será necessário também que o congresso aprove U$ 3,2 bilhões nos próximos meses para o início do desenvolvimento dos landers lunares da missão dentro deste prazo desafiador.

Jim Bridenstine, administrador da agência espacial, declarou também que com o apoio do congresso, o esforço para retornar à Lua está dentro do alcance dos Estados Unidos. Assim, conforme os planos de exploração e orçamento foram solidificados nos últimos meses, a agência veio refinando o orçamento e arquitetura. "Vamos voltar para a Lua em busca de descobertas científicas, benefícios econômicos e inspiração para uma nova geração de exploradores", diz. Então, enquanto a presença sustentável é construída na Lua, serão realizadas as etapas necessárias para que os humanos deem seus primeiros passos no Planeta Vermelho.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Conceito da nave Orion (Imagem: Reprodução/NASA)

De acordo com o documento publicado pela agência, o programa Artemis vai contar com o foguete SLS, a cápsula Orion e a estação espacial Gateway, que será um espaço onde os astronautas poderão passar períodos curtos na órbita da Lua. Bridestine comentou também que a agência tem todos os sistemas e contratos preparados para garantir que será possível levar astronautas outra vez à Lua.

Entretanto, ele reconhece que levar a primeira mulher e o próximo homem ao nosso satélite natural em apenas quatro anos é algo bastante desafiador; embora a NASA seja habilidosa para lidar com os riscos técnicos, existem também os riscos políticos envolvidos principalmente em função dos custos do programa. "Para economizar e reduzir os riscos políticos, queremos ser rápidos, e [realizar a missão em] 2024 é um cronograma agressivo. É possível? Sim. Tudo tem que correr bem? Sim". Por fim, Bridenstine explica que a agência receber os U$ 3,2 bilhões necessários para o desenvolvimento do Human Landing System (o sistema de pouso humano), é provável que a missão possa ser realizada em 2024.

No cronograma do programa, a Artemis I — a primeira missão — deverá ser realizada em 2021, mas sem astronautas. Já a Artemis II acontecerá em 2023 e será tripulada, porém apenas orbital, sem alunissagem (nome dado a pousos lunares). Então, se tudo correr de acordo com o planejado, 2024 será o ano de realização da Artemis III, com o pouso dos novos astronautas, que acontecerá no polo sul lunar. A NASA ainda não decidiu se irá construir a estação Gateway na missão Artemis III, sendo que o mais provável é que os astronautas só comecem a usar a estação orbital nas missões posteriores à Artemis IV.

Fonte: SpaceFlightNow, NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.