O maior meteorito marciano que já caiu na Terra está em exposição nos EUA

O maior meteorito marciano que já caiu na Terra está em exposição nos EUA

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 03 de Setembro de 2021 às 16h10
Maine Mineral and Gem Museum

Fragmentos de asteroides e cometas atingem nosso planeta constantemente — e, às vezes, eles resistem à passagem na atmosfera, chegando ao solo como meteoritos. Foi exatamente isso que aconteceu com um fragmento vindo de Marte, considerado o maior originado no Planeta Vermelho. Agora, essa rocha está exposta no museu Maine Mineral and Gem Museum em Bethel, nos Estados Unidos, junto de outros 6.000 objetos espaciais.

O meteorito, chamado “Taoudenni 002”, pesa 14,5 kg e mede 25 cm. Ele foi encontrado por um caçador de meteoritos no deserto de Mali e, depois, foi adquirido por Darryl Pitt, revendedor líder de meteoritos no mundo, para o Maine Mineral and Gem Museum. Não houve observadores que testemunharam a queda do objeto, mas Carl Agee, diretor do Instituto de Meteorítica na Universidade do Novo México, acredita que o evento foi recente. “Nos últimos 100 anos, talvez, devido ao estado de conservação”, estima ele. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Após adquirir o objeto, Pitt enviou uma pequena amostra da rocha a Agee para confirmar sua origem. Meteoritos marcianos têm assinaturas químicas específicas, e os compostos presentes no Taoudenni 002 correspondem aos minerais marcianos que conhecemos. Segundo o diretor, trata-se de um "shergogito", considerado o principal tipo de meteorito marciano. “Ele contém os minerais olivina, piroxênio e feldspato, transformado por choque”, explicou ele. Esses compostos provavelmente são o resultado do impacto que ejetou o fragmento ao espaço.

Para Agee, a rocha provavelmente se formou durante um episódio de erupção vulcânica em Marte, ocorrido há mais de 100 milhões de anos. O objeto provavelmente veio para cá após algum impacto intenso de um cometa ou asteroide no Planeta Vermelho, o que deve ter liberado rochas que começaram a vagar pelo espaço, até que entraram em uma órbita em torno do Sol e, eventualmente, cruzaram a da Terra. 

O diretor considera que este é o maior meteorito marciano em nosso planeta. Hoje, há cerca de 300 pedaços de rochas vindas de Marte na Terra, mas pode haver outras até mesmo maiores, só que ainda escondidas — elas podem estar “enterradas sob uma duna no Saara, nas profundezas do gelo da Antártica, ou talvez, no fundo do oceano”, propôs ele.

Fonte: Live Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.