Leilão de satélite brasileiro não recebe nenhuma oferta

Por Redação | 01 de Novembro de 2017 às 13h23

O leilão do satélite geostácionario estatal SGDC (sigla para Satélite de Defesa e Comunicações), realizado nesta terça-feira (31) não teve nenhuma oferta apresentada.

A iniciativa era a de se leiloar parte da capacidade do satélite para uso civil, sobretudo para o fornecimento de internet de banda larga para regiões remotas do país. Com duas bandas de telecomunicações ( a Ka, para internet de banda larga, e a X, para defesa) o satélite foi construído pela empresa francesa Thales, e adquirido posteriormente em consórcio entre Embraer e Telebras.

O satélite que está em órbita desde maio deste ano, foi concebido como parte do Plano Nacional de Banda Larga, ainda em 2010, e ganhou mais importância após a descoberta da espionagem americana em e-mails da então presidente da República, Dilma Rousseff.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A ideia era de que a própria Telebras atendesse à demanda de uso civil para distribuição da banda larga, porém, com déficit apresentado nas contas, ela precisaria de subsídio do governo para realizar o trabalho. Por isso o leilão foi apresentado para as empresas privadas.

Contudo, existem rumores de que o preço mínimo da concessão estaria alto demais, afugentando eventuais interessados. Após o fracasso do leilão a Telebras estuda alternativas, entre elas a apresentação de uma nova licitação ou até mesmo assumir toda a operação de uma vez.

A expectativa é que a banda larga fornecida pelo SGDC possa atender 30 mil escolas e 20 mil unidades de saúde.

Fonte: Folha de S.Paulo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.