Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

NASA vai usar foguetes para estudar efeitos do eclipse solar

Por| Editado por Patricia Gnipper | 13 de Outubro de 2023 às 18h00

Link copiado!

 Bryan Goff/Unsplash
Bryan Goff/Unsplash

O aguardado eclipse solar está chegando. Enquanto observadores aproveitam o espetáculo do fenômeno, proporcionado pela Lua ocultando parte do Sol no sábado (14), os cientistas da NASA vão aproveitar o momento para estudar as mudanças na atmosfera.

Para isso, uma equipe de pesquisadores vai lançar três foguetes de sondagem no Novo México. Os veículos fazem parte da missão Perturbações Atmosféricas ao redor do Caminho do Eclipse (ou APEP, na sigla em inglês), liderada por Aroh Barjatya, professor da Universidade Aeronáutica Embry-Riddle.

Continua após a publicidade

Os veículos vão analisar a ionosfera, camada atmosférica que se estende de 48 km a 965 km acima do nível do mar. Durante o eclipse, a temperatura e densidade ali vão diminuir, causando um efeito de ondulação que pode afetar a comunicação via satélite.

A ionosfera contém íons e elétrons, que são partículas eletricamente carregadas, sendo responsável pela reflexão e refração de ondas de rádio. Segundo o professor, como todas as comunicações via satélite atravessam esta região, é essencial “entendermos e modelarmos todas as perturbações na ionosfera”.

Após o fenômeno, os foguetes e seus instrumentos vão ser enviados às instalações da NASA no estado de Virgínia. Ali, eles vão passar por manutenções para serem usados novamente em estudos realizados durante o eclipse solar que vai acontecer em abril de 2024.

O eclipse solar e a atmosfera da Terra

Os eclipses solares acontecem quando a Lua passa em frente ao Sol, ocultando total ou parcialmente seu disco. Por isso, eles causam impactos significativos na estrutura e dinâmica da ionosfera — e muito disso se deve à redução da radiação que atinge a atmosfera durante o eclipse.

A menor quantidade de radiação solar na ionosfera diminui a ionização na camada, afetando temporariamente a densidade dos elétrons por lá. Além disso, a redução da luz solar recebida durante o eclipse também pode levar ao resfriamento da atmosfera superior, levando a possíveis mudanças na densidade e altitude ionosféricas.

Felizmente, os efeitos costumam ser temporários e restritos à região em que o eclipse acontece. Após o fim do evento, quando os níveis de radiação solar voltam ao normal, a ionosfera retoma suas condições.

Continua após a publicidade

Fonte: Space.com, NASA