Meteoro de alta magnitude iluminou o céu de cidades no Rio Grande do Sul

Por Danielle Cassita | 11 de Janeiro de 2021 às 15h20
Reprodução/Carlos Fernando Jung

Na última sexta-feira (08), um meteoro de magnitude -5 iluminou os céus de cidades gaúchas, sendo visto nos municípios de Tramandaí, Esteio, Parobé e Passo Fundo. A passagem da rocha, que ocorreu às 20h29, durou alguns segundos e foi flagrada pelo Observatório Espacial Heller & Jung, com câmeras prontas em Taquara, São Leopoldo e Porto Alegre. O meteoro deixou um rastro brilhante e esverdeado durante sua passagem, observada por moradores locais que comentaram o fenômeno nas redes sociais.

Também conhecidos como "estrelas cadentes", meteoros são a queima de objetos que entram na atmosfera da Terra e, durante a passagem, deixam um rastro luminoso. De acordo com o professor Carlos Fernando Jung, diretor científico da Região Sul da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), a passagem do meteoro durou cerca de sete segundos: “foi um fireball, que entrou na atmosfera à altitude de 80 km e foi extinto a 42 km de altitude", relata. Ainda segundo Jung, meteoros de magnitude menor são bem mais comuns — somente no ano passado, 21.848 deles foram registrados. 

Fernando Neubarth foi um dos moradores locais de grande sorte que conseguiram observar a passagem da rocha: "com uma cauda verde, tão grande e intenso, achei que fosse algum outro artefato luminoso", comenta ele. "Essa filmagem comprova, mas o que vimos foi uma imagem maior e mais brilhante". Ainda não há informações sobre o tamanho da rocha, sua trajetória ou se houve queda de meteoritos. 

Confira a passagem do meteoro flagrada pelas câmeras do observatório: 

A magnitude é a escala utilizada para medir o brilho dos objetos, que vai de -27 a +30; então, quanto mais brilhante o objeto parece ser, menor será o valor da sua magnitude. As bolas de fogo são meteoros de magnitude aparente acima de -4, enquanto os bólidos têm magnitude de -14 e, por fim, os superbólidos podem ultrapassar -17 na escala. O professor relata que apenas sete meteoros de magnitude semelhante ao desta vez, ou maior, foram flagrados no último ano.

Vale lembrar que, no ano passado, um superbólido cruzou o céu da região da Serra Gaúcha e causou um brilho tão intenso que a noite pareceu virar dia por alguns segundos, sendo considerado até mais brilhante do que a Lua. Ao explodir, o meteoro causou um estrondo e um deslocamento de ar percebido por moradores da região. 

Fonte: G1, Correio Braziliense

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.