Meteoro cruza os céus dos EUA em plena manhã e é visto do solo e do espaço

Meteoro cruza os céus dos EUA em plena manhã e é visto do solo e do espaço

Por Wyllian Torres | Editado por Rafael Rigues | 29 de Abril de 2022 às 17h30
NOAA

Um meteoro “bola de fogo”, 10 vezes mais brilhante que a Lua Cheia, cruzou os céus do sul do estado norte-americano do Mississipi na manhã desta quarta-feira (27). O fenômeno também foi observado em algumas áreas do Arkansas e Louisiana. Ao explodir violentamente ainda no ar, ele produziu um estrondo e tremor sentidos em solo.

  1. Que tamanho um meteoro precisa para extinguir espécies? Depende de onde ele cair
  2. Bola de fogo ilumina os céus do Canadá e pode ter espalhado meteoritos no solo

O meteoro foi observado pela primeira vez por volta das 10h03 (horário de Brasília) do dia 27. Segundo a NASA, mais de 30 testemunhas oculares relataram ter visto o fenômeno. Em seguida, um poderoso estrondo foi relatado no condado de Claiborne, no Mississipi, e em regiões próximas.

A seta azul indica o trajeto do meteoro de acordo com os relatos das testemunhas oculares (Imagem: Reprodução/NASA/American Meteor Society)

O bólido — nome dado a meteoros extremamente brilhantes e acompanhados de uma explosão — não foi observado apenas do solo. A mais de 35 mil km de altitude, os satélites Geostationary Lightning Mappers (GLM), da NOAA, registraram uma sequência de flashes enquanto a rocha se desfazia na atmosfera.

O fenômeno foi gerado por um pedaço de asteroide com um tamanho estimado em 1 metro de diâmetro e cerca de 40 kg, informou a NASA em nota. O meteoro se tornou visível quando estava a mais de 86 km de altitude na atmosfera, bem acima do rio Mississipi, próximo ao condado de Alcorn.

O meteoro seguiu para o sudoeste a uma velocidade de 34.175 km/h e, à medida que mergulhava em direção ao solo, se desfez em vários pedaços. Ele se desintegrou por completo quando estava a 54 km de altitude, em uma explosão que liberou uma energia equivalente a 3 toneladas de TNT.

Bill Cooke, chefe do Escritório de Ambientes de Meteoróides da NASA, disse que: “este é um dos melhores eventos que vi nos dados do GLM”. Na mesma nota, a agência norte-americana acrescentou que se sobraram fragmentos do meteoro, eles devem ter caído em uma área pantanosa ao norte de Minorca, no Mississipi.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.