Maior avião do mundo será usado para lançar foguetes ao espaço

Por Redação | 01.06.2017 às 10:13 - atualizado em 01.06.2017 às 14:32

Foi apresentado nesta quinta-feira (01) o Stratolaunch, o maior avião do mundo, com uma envergadura maior do que um campo de futebol. A aeronave tem 117,3 m entre uma asa e outra, pesando 580 toneladas. Para levantar voo, ela usa seis turbinas, além de possuir duas cabines de controle.

Com 28 trens de pouso, 15,2 m de altura e 72,5 m de comprimento, o avião tem uma autonomia de duas mil milhas náuticas, voando a 35 mil pés de altura. São valores equivalentes aos de um avião comercial, mas a ideia, claro, não é usá-lo assim. A aeronave servirá para o lançamento de foguetes ao espaço.

A ideia é economizar combustível no processo de envio de cargas a estações espaciais. Em vez de detonar tudo para garantir que grandes naves deixem o solo, a ideia é fazer isso do ar, com velocidade e usando o avião para decolagem. O primeiro voo, ainda em caráter de teste, deve acontecer em 2019.

Além de economizar em combustível e gerar um impulso extra, o avião também voaria sobre as nuvens, evitando a influência do vento e outros elementos climáticos que podem atrapalhar um lançamento. Mais de um foguete poderá ser lançado a partir do avião – ou um único utilizando vários motores, por exemplo – reduzindo a queima necessária para atingir voo.

A ideia do Stratolaunch é atingir a baixa órbita, em um modelo que pode ser usado tanto para o envio de foguetes ao espaço quanto para auxiliar na colocação de satélites em órbita. Essa, inclusive, foi a ambição que levou o cofundador da Microsoft, Paul Allen, a apostar na companhia, da qual ele é um dos principais investidores.

O executivo e também 35º homem mais rico do mundo imagina possibilidades nas quais satélites de baixa órbita poderiam ser usados para observar o clima ou auxiliar agricultores no aumento de sua produtividade. Análises químicas da atmosfera também seriam possíveis, além, claro, dos objetivos mais ambiciosos, que envolvem o envio de cargas, pessoal e equipamentos ao espaço.

Outras empreitadas do tipo estão em andamento pelas mãos da Virgin Orbit, que deseja usar um Boeing 747-400 para lançamento, e as reconhecidas SpaceX, de Elon Musk, e Blue Origin, de Jeff Bezos. Todas, assim como a Stratolaunch, interessadas na exploração comercial do espaço e, claro, tentando reduzir os gastos por aqui para proporcionar isso.

O Stratolaunch agora é o detentor do recorde de aeronave com maior envergadura do mundo, tendo ultrapassado o Spruce Goose, de Howard Hughes, que tinha 97,5 m de uma asa a outra. Só a título de comparação, o Airbus A380-800, o maior avião comercial do mundo, tem 79,8 m de extensão. Ele é usado por empresas como Lufthansa, Air France e Qantas, além de percorrer a rota comercial mais longa do globo, entre os aeroportos de Sydney, na Austrália, e Dallas-Fort Worth, nos Estados Unidos, um trajeto de 13,8 mil quilômetros.

Fonte: Telegraph