Indiana Chandrayaan-2 parte rumo à Lua nesta segunda-feira (22)

Por Patrícia Gnipper | 22 de Julho de 2019 às 14h02
ISRO

Enfim, a Índia conseguiu lançar a missão Chandrayaan-2 nesta segunda-feira (22), cujo destino final será o polo sul da Lua. "Enfim" pois o lançamento acabou sendo cancelado por conta de um problema técnico detectado no foguete pouco tempo antes de seus propulsores serem acionados — o que resultaria num incidente catastrófico. À época, a ISRO (agência espacial indiana) chegou a dizer que uma nova data para o lançamento poderia acontecer dentro de até um ano.

Contudo, no final da semana passada, a agência declarou que seria possível fazer uma nova tentativa de voo já nesta segunda (22), o que acaba de acontecer, desta vez sem contratempos. A Chandrayaan-2 é a segunda missão lunar do país, e será a primeira indiana a pousar na superfície da Lua — a Chandrayaan-1 foi apenas orbital. Com isso, a Índia se tornará a quarta nação a pousar em nosso satélite natural (depois da Rússia, Estados Unidos e China), e será o primeiro país a levar um rover ao polo sul lunar.

Comparativo entre as Chandrayaan-1 e Chandrayaan-2 (Imagem: ISRO)

O pouso está programado para o dia 6 de setembro. No dia seguinte, espera-se que o módulo lunar Vikram (que se destacará da sonda orbital para fazer a alunissagem) já acione o rover Pragyan para começar a exploração. Além desses três equipamentos (orbitador, módulo lunar estacionário e rover), a Chandrayaan-2 também leva consigo 14 cargas científicas, incluindo uma da NASA. A missão tem previsão para durar por até um ano.

A Chandrayaan-1, por sua vez, foi lançada em 2008 e ajudou a confirmar a existência de água congelada na Lua, o que, de alguma forma, ajudou a reacender o interesse global pelo nosso satélite natural, com países como China, EUA, Rússia e nações europeias, além da própria Índia, se apressando para lançar novas missões lunares e avaliar a quantidade e disponibilidade dessa água para uma variedade de propósitos — por exemplo, produção de combustível para foguetes ao quebrar a água em hidrogênio e oxigênio. E, hoje, vemos acontecer uma nova corrida espacial envolvendo a Lua, contando ainda com empresas privadas na jogada.

Fonte: ARSTechnica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.