Índia se une ao Japão e tentará pousar outra nave na Lua na próxima década

Por Patrícia Gnipper | 12 de Setembro de 2019 às 13h33
Astronomy.com/MENEZES FO

Apesar de ainda não se saber se o lander Vikram conseguiu pousar na superfície da Lua mesmo que a comunicação com os controladores da missão Chandrayaan-2 tenha sido perdida durante sua descida (o que tem grandes chances de significar uma colisão), a ISRO (agência espacial indiana) não se deu por vencida e acaba de anunciar uma parceria com a JAXA (agência espacial japonesa) para que, juntas, tentem pousar uma outra nave em nosso satélite natural.

Isso deve acontecer no início da próxima década, ainda sem uma data específica confirmada. "JAXA e ISRO estão planejando uma exploração polar lunar conjunta que será lançada no início dos anos 2020", disse a embaixada japonesa em Nova Délhi, em comunicado emitido depois da revelação de que o Vikram havia sido localizado na superfície da Lua, o que aconteceu por meio de imagens térmicas obtidas pela sonda orbital da missão — ainda que não tenha sido possível confirmar se ele estaria intacto, ou em pedaços.

À esquerda, o que a Chandrayaan-1 fez em sua missão. À direita, o que faria a Chandrayaan-2 caso pousasse com sucesso (Imagem: ISRO)

A ideia ainda é levar um rover ao polo sul da Lua, o que agora poderá acontecer até 2023, com o objetivo de estudar melhor a água congelada sub-superficial confirmada na região pela missão orbital Chandrayaan-1, da Índia, e também pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter, da NASA. Avaliar a quantidade e disponibilidade dessa água lunar serve a vários interesses, incluindo a produção de combustível para foguetes no ambiente lunar, o que seria possível ao quebrar a água em hidrogênio e oxigênio, por exemplo.

O governo japonês aprovou o plano, garantindo que o foguete será lançado em Tóquio, com a JAXA sendo responsável por desenvolver o novo veículo espacial, enquanto a ISRO desenvolverá o módulo de pouso. Mas, por enquanto, a agência indiana segue tentando restabelecer contato com o Vikram da Chandrayaan-2, que levou consigo o rover Pragyan e uma série de cargas científicas. A ISRO estaria otimista acreditando que o lander está sim inteiro, mas que teria pousado "deitado" para o lado.

Fonte: Moon Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.