Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Foguete Ariane 6 sofre falha e muda de trajetória

Por| Editado por Luciana Zaramela | 10 de Julho de 2024 às 14h16

Link copiado!

ESA/S.Corvaja
ESA/S.Corvaja

O foguete europe Ariane 6 voou pela primeira vez na terça (9), mas nem tudo correu como o planejado. Houve uma anomalia na fase final do voo, impedindo que o veículo liberasse algumas das cargas úteis que levava. O ocorrido deve ser investigado. 

O lançamento aconteceu no espaçoporto em Kourou, na Guiana Francesa. Cerca de 18 minutos após deixar a plataforma, o Ariane 6 chegou à órbita; depois de uma hora, liberou alguns pequenos satélites, levando as equipes da missão a comemorar o bom desempenho até aquele momento.

No entanto, a anomalia forçou o Ariane 6 a desviar da trajetória desejada. Como resultado, o veículo não alcançou a altitude necessária para liberar duas cápsulas, as cargas que faltavam. “Tivemos uma anomalia, provavelmente não vamos conseguir finalizar essa parte da missão como esperávamos”, comentou Tina Buchner da Costa, arquiteta do sistema de lançamentos do Ariane 6. 

Continua após a publicidade

O problema foi causado por uma unidade de energia que parou de funcionar por motivos não especificados. Este componente é um sistema essencial para o foguete liberar as cargas úteis em suas órbitas desejadas, e com o ocorrido, as cápsulas permaneceram a bordo. Originalmente, elas seriam lançadas para testar o desempenho durante a reentrada atmosférica. 

Stéphane Israël, diretor executivo da Arianespace, a empresa francesa que opera o foguete, comentou que a anomalia não deve causar consequências para os próximos lançamentos. “Estamos perfeitamente no ritmo para realizar um segundo lançamento ainda neste ano”, disse em uma conferência. 

O voo inaugural do Ariane 6 era aguardado com muita expectativa, já que representa o retorno do acesso da Europa ao espaço de forma independente. “O Ariane 6 é fundamental para as ambições espaciais da Europa”, declarou Toni Tolker-Nielsen, diretor interino de transportes espaciais na Agência Espacial Europeia.

Fonte: NY Times, Reuters