Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Experimento da NASA destruiu vida em Marte? Professor diz que sim

Por| Editado por Patricia Gnipper | 17 de Agosto de 2023 às 16h21

Link copiado!

NASA/JPL-Caltech
NASA/JPL-Caltech

Seres vivos teriam sido encontrados em Marte há quase 50 anos, mas podem ter sido destruídos. A colocação ousada vem de Dirk Schulze-Makuch, professor da Universidade Técnica de Berlim, que sugere que a água adicionada durante um experimento realizado por um lander da NASA pode ter matado microrganismos por lá — se existirem.

Ele apresentou suas ideias em um simpósio organizado pela Fundação do Palácio Real de Amsterdã, que une duas vezes por ano especialistas para discutir diferentes assuntos. Neste ano, um dos encontros abordou a busca por vida extraterrestre. Ali, ele deixou uma provocação, propondo que seres vivos já foram encontrados no Planeta Vermelho.

Em uma publicação, o professor recordou as diferentes missões enviadas para lá vários anos antes de os rovers Curiosity e Perseverance pousarem em solo marciano. Entre elas, estão as missões Viking, cujos landers tiraram as primeiras fotos da superfície marciana e realizaram alguns testes para procurar sinais de vida.

Continua após a publicidade

Um dos experimentos envolvia água com nutrientes e carbono radioativo adicionados ao solo marciano. A ideia é que, se houvesse seres vivos por lá, eles deveriam consumir os nutrientes e emitir o carbono radioativo no estado gasoso. Um primeiro experimento detectou o gás, enquanto o de controle não identificou o composto.

Entretanto, resultados posteriores foram intrigantes, porque novas injeções da mistura não levaram à produção de mais gás — o esperado era que, se houvesse micróbios no solo, eles deveriam produzir mais gás porque receberam mais nutrientes. No fim, o resultado inicial foi atribuído à presença do perclorato, composto que poderia ter metabolizado os nutrientes.

Para Schulze-Makuch, a adição de água ao experimento teria matado os microrganismos. Ele recordou também que alguns seres encontrados em ambientes extremos na Terra vive em rochas de sal e obtêm umidade a partir do ar; portanto, se recebessem água, eles iriam morrer. O professor acredita que, talvez, isso explique o porquê de as injeções de nutrientes não terem rendido o efeito desejado.

Continua após a publicidade

Vale lembrar que, até o momento, não foram encontradas evidências de que existam seres vivos em Marte atualmente, mas sim de que o planeta talvez tenha abrigado microrganismos no passado. “Como argumentei, precisamos de uma nova missão a Marte dedicada principalmente à detecção de vida para testar esta hipótese e outras”, finalizou o professor.

Fonte: Big Think