Estação espacial chinesa precisou desviar duas vezes de satélites Starlink

Estação espacial chinesa precisou desviar duas vezes de satélites Starlink

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 28 de Dezembro de 2021 às 12h10
China Manned Space Engineering Office

A China apresentou uma queixa junto à Organização das Nações Unidas (ONU) sobre uma perigosa aproximação de satélites Starlink, da SpaceX, com estação espacial chinesa Tiangong-3. Segundo o documento, em duas ocasiões a unidade orbital precisou realizar manobras de emergência para evitar colisões com satélites da empresa de Elon Musk.

O relatório foi encaminhado ao Escritório das Nações Unidas para Assuntos Espaciais (UNOOSA, na sigla em inglês), escritório da ONU responsável por regular o Tratado do Espaço Sideral.

O primeiro incidente aconteceu em 1º de julho, quando o satélite Starlink-1095 atravessou o caminho da estação chinesa, localizada a 390 km de altitude. Do ano passado até junho deste ano, o satélite migrou de uma altitude de 555 km para 382 km.

Então, um evento semelhante se repetiu em 21 de outubro, quando o Starlink-2035 atravessou o caminho da estação, que precisou fazer uma manobra evasiva para garantir a segurança da tripulação a bordo.

De acordo com Zhao Lijian, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, o país exige que os EUA ajam com responsabilidade no que diz respeito às atividades realizadas no espaço, tanto por órgãos governamentais, quanto por empresas privadas. Ele também ressaltou que os "sustos" com os satélites Starlink poderiam representar uma ameaça à vida de seus astronautas, que estão na estação espacial — isto é, caso alguma colisão tivesse acontecido de fato.

Fonte: UNOOSA; Via The Guardian, Interesting Engineering

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.