Essa é a imagem da galáxia de Andrômeda mais detalhada já feita via rádio

Essa é a imagem da galáxia de Andrômeda mais detalhada já feita via rádio

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 28 de Julho de 2021 às 17h40
S. Fatigoni et al.

Em um novo estudo, publicado na Astronomy and Astrophysics, cientistas revelam a imagem de rádio mais detalhada até hoje da nossa galáxia vizinha, Andrômeda. A nova observação, feita pelo Radiotelescópio da Sardenha (SRT, na sigla em inglês), localizado na Itália, permitiu que os astrônomos identificassem e estudassem regiões onde se formam novas estrelas — contribuindo, inclusive, para a compreensão da nossa própria galáxia, a Via Láctea.

O estudo, liderado pela física Sofia Fatigoni, da University of British Columbia (UBC), é o primeiro a criar uma imagem de rádio de Andrômeda na frequência de microondas de 6,6 GHz. “Esta imagem nos permitirá estudar a estrutura de Andrômeda e seu conteúdo com mais detalhes do que jamais foi possível”, disse Fatigoni. A física também ressaltou que compreender a natureza dos processos físicos que ocorrem em Andrômeda ajuda a entender o que acontece dentro da nossa própria galáxia.

Imagem final da galáxia de Andrômeda (Imagem: Reprodução/S. Fatigoni et al)

Além da riqueza de detalhes, a nova imagem oferece uma ampla visão da região ao redor de Andrômeda. Na frequência de 6,6 GHz, a emissão em rádio é muito fraca, por isso a dificuldade em se fazer um registro como esse. No entanto, somente nesta faixa é possível observar características particulares e entender a dinâmica da galáxia vizinha. Ao todo, os pesquisadores levaram 66 horas mapeando o céu com o radiotelescópio de 64 metros de diâmetro.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A partir dos analisados, Fatigoni e sua equipe conseguiram estimar a taxa de formação de estrelas dentro de Andrômeda e, com isso, produzir um mapa detalhado, destacando o “disco da galáxia” como a região em que se formam novas estrelas. “Ao combinar esta nova imagem com as adquiridas anteriormente, demos passos significativos no esclarecimento da natureza das emissões de microondas de Andrômeda”, apontou Elia Battistelli professora da Universidade de Roma "La Sapienza" e co-autora do artigo.

Para identificar as fontes fracas de rádio emitidas por Andrômeda, a equipe também desenvolveu e implementou um software, onde testaram novos algoritmos para tornar este processo de mapeamento mais preciso. O novo mapa catalogou cerca de 100 “fontes pontuais”, além de estrelas, galáxias e outros objetos no espaço profundo.

O artigo com mais detalhes sobre a pesquisa pode ser acessado na Astronomy and Astrophysics.

Fonte: UBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.