Chuva de meteoros Eta Aquáridas terá pico de três dias nesta semana; saiba mais

Chuva de meteoros Eta Aquáridas terá pico de três dias nesta semana; saiba mais

Por Daniele Cavalcante | Editado por Rafael Rigues | 03 de Maio de 2022 às 10h30
Phil Hart/Creative Commons

Nesta semana temos mais uma ótima razão para olhar para o céu: a chuva de meteoros conhecida como "Eta Aquáridas", uma das mais interessantes do ano, por vários motivos. O primeiro é que seu pico é no dia 4 de maio, mas se estende para as noites seguintes, então há muitas chances de ter uma boa noite de observação. O segundo motivo é que essa chuva favorece o hemisfério sul do planeta.

Iniciada no dia 15 de abril, a Eta Aquáridas deve durar até o dia 27 de maio, mas será nas manhãs de 4, 5 e 6 de maio, por volta das 4h00, que você terá as melhores oportunidades de encontrar meteoros. O horário pouco favorável é porque o radiante da Eta Aquáridas (constelação de Aquário) terá visibilidade melhor no final da madrugada.

Mesmo assim, você pode começar as observações bem antes, já que o horário de pico e melhor visibilidade parecem variar entre os especialistas, e encontrar o radiante não é exatamente um requisito para ver as “estrelas cadentes”. E além de “caçar meteoros” você poderá acompanhar o alinhamento planetário que ainda está acontecendo entre Vênus, Júpiter, Marte e Saturno.

Os planetas estarão mais visíveis após as 5h00 da madrugada, a leste, e o radiante da Eta Aquáridas estará entre Marte e Saturno, à esquerda (veja imagem abaixo). Uma ótima notícia é que a Lua está se pondo logo após o Sol; portanto, o brilho lunar não vai atrapalhar.

O radiante da chuva de meteoros Eta Aquáridas estará pertinho dos planetas em alinhamento; esta será a configuração do céu no dia 4 de maio, às 4h00 (Imagem: Reprodução/Stellarium)

Em termos de taxa de meteoros, a previsão é animadora: cerca de 10 a 20 meteoros por hora no hemisfério norte, e duas a três vezes esse número no hemisfério sul, com até 60 meteoros por hora. Obviamente, essa é uma previsão otimista, considerando condições ideais de observação. Portanto, é importante calibrar a expectativa, especialmente se você estiver em uma região com intensa poluição luminosa.

Sobre a chuva de meteoros Eta Aquáridas

Associada ao cometa Halley, a Eta Aquáridas é formada por detritos deixados por ele ao passar sempre pela mesma região do Sistema Solar, durante sua jornada de aproximação do Sol. Quando a Terra passa por essa região, alguns desses pedacinhos de matéria acabam entrando na nossa atmosfera e se queimam devido ao atrito.

Os meteoros da Eta Aquáridas são conhecidos pela alta velocidade, com cerca de 66 km/s, e por seus rastros brilhantes com permanência prolongada no céu. Para observar, não é necessário nenhum equipamento especial, mas vale a pena tentar registrar com uma boa câmera fotográfica, caso possua.

Fonte: EtartSkyAmerican Meteor Society

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.