Boeing anuncia lançamento de teste da Starliner à ISS em dezembro

Por Daniele Cavalcante | 15 de Outubro de 2019 às 17h00
Boeing
Tudo sobre

Boeing

Saiba tudo sobre Boeing

Ver mais

Após a visita da NASA à sede da SpaceX para falar sobre o cronograma da espaçonave Crew Dragon, agora é a vez de a Boeing estimar uma data para o primeiro voo orbital da cápsula Starliner. Ambos os veículos fazem parte de um programa financiado pela NASA para a construção de naves capazes de levar astronautas norte-americanos à Estação Espacial Internacional (ISS). E ambos estão atrasados, porém as empresas confiam que falta pouco para finalizar os projetos.

De acordo com John Mulholland, vice-presidente de programas comerciais da Boeing, a CST-100 Starliner já está programada para um lançamento não-tripulado no dia 17 de dezembro. Durante o Simpósio Internacional de Vôos Espaciais Pessoais e Comerciais (ISPCS), Muhloulland contou que a espaçonave voará rumo à ISS, em uma missão chamada Orbital Flight Test (OFT), e ficará atracada na estação por cerca de uma semana.

O lançamento será na Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, em um foguete Atlas V. Quando voltar à Terra, a espaçonave vai aterrissar de para-quedas na White Sands Missile Range, no Novo México.

Entretanto, antes de viajar à estação espacial, a Boeing fará primeiro um teste do sistema de abortamento da espaçonave, que está programado para o dia 4 de novembro. Trata-se de uma demonstração para a empresa se certificar de que a ejeção de astronautas em casos de emergência está em perfeito funcionamento.

No mesmo dia em que a Boeing anunciou o cronograma de testes da Starliner, Elon Musk, CEO da SpaceX, publicou no Twitter que o teste de abortamento da Crew Dragon também deve acontecer no final de novembro ou início de dezembro. A cápsula da SpaceX já realizou seu primeiro voo para a ISS, mas o andamento do projeto enfrentou atrasos quando a Crew Dragon explodiu em um teste no final de abril.

A Boeing, por sua vez, enfrentou atrasos devido a uma “anomalia” ocorrida em um teste de um dos motores de abortamento, em 2018. Poucos meses depois, a companhia anunciou que a missão OFT aconteceria em março, mas foi adiada mais uma vez devido a um conflito de agendamento com outro lançamento do Atlas V.

Jim Bridenstine, administrador da NASA, já chamou a atenção da SpaceX no Twitter devido aos atrasos, deixando claro que as espaçonaves encomendadas para levar astronautas norte-americanos ao espaço é prioridade. Mais tarde, afirmou que a cobrança é a mesma com as outras empresas parte do programa, como a Boeing e sua nave Starliner. "Como administrador da NASA, tenho me concentrado em retornar ao realismo quando se trata de custos e horários", disse ele. “Eu estava sim sinalizando, não apenas à SpaceX, mas a todos os nossos contratados, que precisamos de mais realismo embutido nos cronogramas de desenvolvimento”.

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.