Astrônomos detectam raro evento de um buraco negro supermassivo em movimento

Por Wyllian Torres | 15 de Março de 2021 às 07h30
NASA

Pesquisadores do Harvard–Smithsonian Center for Astrophysics (CfA) publicaram o caso mais claro de um buraco negro supermassivo em movimento. O artigo, publicado hoje (12) no periódico científico Astrophysical Journal, apresenta a análise de 10 galáxias que abrigam buracos negros desse tipo em seu núcleo. Dentre eles, um está se deslocando — localizado na chamada J0437 + 2456.

O registro de buracos negros supermassivos em movimento é raro. É que eles são tão pesados, que é comum que permaneçam estáticos. O astrônomo do American Astronomical Society (AAS), Dominic Pesce, diz que, por serem tão pesados: “é difícil mantê-los em movimento; considere o quão difícil chutar uma bola de boliche do que chutar uma bola de futebol - percebendo que, neste caso, a bola de boliche tem vários milhões de vezes a massa do nosso Sol. Isso vai exigir um chute bem poderoso".

Ao longo dos últimos cinco anos, a equipe vem analisando dez galáxias distantes e os buracos negros em seus respectivos núcleos — especificamente galáxias que tivessem água em seus discos de acreção. Conforme a água orbita o buraco negro em altíssima velocidade, ela libera passa a emitir sinais de rádio. Através da Interferometria de Longa Linha de Base (VLBI), foi possível medir a velocidade de um buraco negro com muita precisão.

A galáxia J0437 + 2456 que hospeda o buracro negro supermassivo em movimento (Imagem: Reprodução/Sloan Digital Sky Survey (SDSS))

O buraco negro em movimento fica localizado a 230 milhões de anos-luz da Terra, hospedado no núcleo da galáxia J0437 + 2456, com massa aproximada de três milhões de vezes a massa do Sol. Consultados os dados obtidos nos acompanhamentos feitos pelo Observatório Arecibo e o Gemini, a equipe pôde confirmar o movimento do buraco negro supermassivo no centro da galáxia.

Existem duas explicações que podem responder esse evento. Esse pode ser o resultado da fusão de dois buracos negros, ou um momento após fusão, onde podemos observar um recuo do buraco negro recém-nascido. Alguns cientistas também acreditam que possa ser um sistema binário de buracos negros — o que é raro. Pisce também sugere que: “o que poderíamos estar vendo na galáxia J0437 + 2456 é um dos buracos negros em tal par, com o outro permanecendo oculto para nossas observações de rádio por causa de sua falta de emissão de radiação".

Pesquisadores seguem com mais observações para tentar entender o verdadeiro motivo que causa o raro deslocamento de um buraco negro supermassivo.

O artigo pode ser acessado na Astrophysical Journal.

Fonte: EurekAlert!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.