Astronautas russos farão spacewalk na ISS para examinar buraco da nave Soyuz

Por Patrícia Gnipper | 11 de Dezembro de 2018 às 18h25
NASA

Nesta terça-feira (11), os astronautas russos (ou cosmonautas) que estão na Estação Espacial Internacional vão fazer uma caminhada espacial (spacewalk) para investigar o buraco até então misterioso que surgiu na cápsula Soyuz, acoplada à ISS. Descoberto em agosto, inicialmente acreditou-se que o furo havia sido causado por um meteorito, resultando em vazamento de oxigênio na estação, mas investigações iniciais derrubaram essa ideia, com a possibilidade de o buraco ter sido causado intencionalmente.

Primeiramente, eles precisarão descobrir se o buraco "pequeno, mas perigoso" foi feito em Terra, antes do lançamento (e, portanto, seria falha da agência russa Roscosmos de não ter visto o problema em tempo), ou se foi feito no espaço. Caso a segunda possibilidade seja confirmada, novas investigações serão conduzidas para descobrir quem fez o buraco na nave, e por quê.

Imagem do buraco descoberto na nave Soyuz (Foto: NASA)

O furo tem apenas dois milímetros, e o vazamento de ar causado por ele aconteceu em agosto, dois meses depois que a nave viajou para a ISS. Até então, todos os exames foram conduzidos de dentro da espaçonave, com este spacewalk de hoje sendo a primeira oportunidade para uma análise externa. Dmitry Rogozin, chefe da Roscosmos, já havia dito que uma investigação interna havia descartado erro de fabricação, e a Rússia chegou a desconfiar de uma sabotagem por parte da NASA, que rapidamente negou a suspeita.

O spacewalk terá seis horas de duração, sendo feito pelos astronautas Oleg Kononenko e Sergei Prokopyev. O primeiro usará uma faca para abrir o isolamento e a cobertura protetora da nave, observando diretamente o buraco e colhendo amostras, que serão enviadas à Terra para que, enfim, haja um veredito. A caminhada será especialmente difícil pois a Soyuz não foi projetada para ser consertada no espaço, e não tem trilhos externos para que os astronautas se guiem por ali.

Fonte: Phys.org

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.