Asteroide perigoso se aproxima da Terra nesta quarta (22). Há risco de colisão?

Asteroide perigoso se aproxima da Terra nesta quarta (22). Há risco de colisão?

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 21 de Setembro de 2021 às 17h10
urikyo33

Nesta quarta-feira (22), uma rocha espacial que orbita o Sol passará o mais perto posível do nosso planeta. Trata-se do asteroide 2021 NY1, que, às 11h42 (horário de Brasília), estará a aproximadamente 1,5 milhão de quilômetros da Terra — distância que equivale a quatro vezes aquela entre nós e a Lua. Por isso, pode ficar tranquilo, já que essa distância é segura o suficiente para não haver riscos de colisão com a Terra.

O asteroide em questão foi classificado como “objeto em órbita próxima à da Terra” (ou “NEO”, na sigla em inglês), tem magnitude absoluta de 21,5 e seu diâmetro fica entre 130 m e 300 m, dimensões que podem chegar àquelas de até três campos de futebol. Durante a passagem pelas nossas redondezas, o asteroide estará viajando à velocidade de 9,35 km/s e irá passar a uma distância segura o suficiente. Como o asteroide irá passar por aqui durante o dia, ele não poderá ser observado; somente depois do dia 25 é que começará a ficar visível durante a madrugada, de modo que deve ser observado por telescópios dedicados.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“Durante essa aproximação, o objeto será um alvo bastante interessante para os observatórios ópticos e de radar, o que permitirá a determinação das propriedades físicas desse NEO, assim como permitirá avaliar possíveis mudanças em sua órbita”, explica Dr. Filipe Monteiro, astrônomo do Observatório Nacional. “Por ser um objeto potencialmente perigoso, o conhecimento das suas características físicas é muito importante para prever a sua evolução orbital, e assim avaliar os riscos de impacto com a Terra no futuro”, disse Monteiro.

Os asteroides não têm órbitas estáveis e podem ter mudanças imprevisíveis em suas trajetórias em função da força gravitacional dos planetas e do Sol — por isso, é importante acompanhá-los. Assim, o 2021 NY1 foi considerado como potencialmente perigoso, classificação feita a partir de parâmetros que calculam as chances de o asteroide fazer aproximações que possam ameaçar a Terra, passando a até 0,05 unidades astronômicas de nós e com magnitude absoluta de 22. Como há vários asteroides próximos da Terra e não conhecemos todos eles, é importante descobrir e estudar as características daqueles que têm qualquer potencial para nos colocar em risco.

Esta não será a última vez que o 2021 NY1 irá se aproximar da Terra: em 2044, ele retornará para um novo encontro em que estará a 0,038 unidades astronômicas de nós, de modo que a aproximação desta semana será a maior do século. Depois, uma nova passagem ocorrerá em 2105, ano em que o asteroide passará pelo nosso planeta a 0,018 unidades astronômicas.


Fonte: Observatório Nacional

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.