10 lugares no espaço onde há ingredientes necessários para o surgimento da vida

10 lugares no espaço onde há ingredientes necessários para o surgimento da vida

Por Felipe Ribeiro | 26 de Abril de 2020 às 19h00
NASA/JPL-Caltech/T. Pyle (SSC)

Não é de hoje que cientistas buscam indícios de que a vida também pode ter florescido em outros mundos além da Terra. É uma tarefa complexa e que envolve variadas áreas do conhecimento científico, ainda que tecnologias mais recentes tenham permitido a detecção de diversas pistas indicando não ser uma loucura pensar que a vida também existe, ou já existiu, em mais lugares universo afora.

Mas, antes de imaginarmos seres alienígenas tão complexos quanto nós, é preciso, primeiro, descobrir se formas de vida muito mais simples também não surgiram por aí — como a vida microbiana, por exemplo. Essa busca vem sendo levada tão a sério, que a NASA enviará a Marte, entre julho e agosto deste ano, a missão Mars 2020 com o rover Perseverance, equipado com instrumentos capazes de procurar por bioassinaturas em nosso planeta vizinho. Caso as encontre, finalmente teremos a confirmação de que a vida também foi capaz de surgir em outros mundos além da Terra.

Agora, fica a questão: exatamente como a vida surge? Ainda não sabemos ao certo como a vida floresceu aqui em nosso próprio planeta, ainda que existam muitos estudos a respeito, com hipóteses bastante coerentes. Enquanto uns indicam que a vida surgiu aqui a partir de uma combinação bastante específica de fatores ao longo de muito tempo, até o surgimento da primeira forma de vida propriamente dita, há também quem levante a ideia de que alguns ingredientes necessários para a criação da vida teriam sido trazidos para cá por meio de colisões de objetos espaciais, como asteroides, com o nosso planeta, em seu passado bastante longínquo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A resposta definitiva para essa questão ainda não existe, mas uma coisa é fato: ingredientes necessários para o surgimento da vida já foram encontrados em outros lugares universo afora. Entre esses ingredientes, estão elementos químicos como carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fósforo e enxofre. A seguir, você descobre 10 lugares inusitados no espaço que contêm ingredientes primordiais relacionados ao surgimento da vida como a conhecemos.

1. Objetos de Herbig-Haro

Imagem: ESA/NASA

Os Objetos de Herbig-Haro são pequenas áreas de nebulosidade que surgem com o nascimento de estrelas. Quando eles ocorrem, essas estrelas emitem jatos contendo diversos tipos de moléculas orgânicas, além de descargas enormes de hidrogênio.

2. Discos protoplanetários

Imagem: ALMA (ESO/NAOJ/NRAO)

Discos protoplanetários são acúmulos de matéria ao redor de estrelas recém-formadas, formados 99% por gás e 1% por matéria sólida (na forma de poeira). Esse material vai se aglutinando com a ação gravitacional da estrela, formando materiais mais densos que, depois, acabam formando objetos como planetas e asteroides. E, assim como acontece com os Objetos de Herbig-Haro, esses discos protoplanetários podem conter muito material orgânico, como gases moleculares, por exemplo.

3. Plutão

Imagem: NASA / JHUAPL / NEW HORIZONS / LORRI

Pequenino, Plutão acabou sendo rebaixado à categoria de planeta-anão em 2006, mas, ainda assim, não deixa de ser extremamente interessante. Estudado pela NASA em 2015 com a sonda New Horizons, ele apresenta uma riqueza de compostos orgânicos em sua superfície. Por exemplo, descobriu-se a presença de tolina, uma molécula formada pela ação de radiação ultravioleta do Sol em compostos orgânicos simples como metano — também abundante por lá. Plutão também ostenta uma névoa com hidrocarbonetos, nitrogênio, etano e monóxido de carbono.

4. Nebulosa de Íris

Imagem: Göran Nilsson /Hole Observatory

A Nebulosa de Íris, chamada NGC 7023, pode se estender por cerca de 30 anos-luz de diâmetro. Esse local é recheado de gases e compostos orgânicos de carbono. O material mais abundante por ali, porém, é o hidrogênio.

5. Meteoritos

Imagem: Wikimedia Commons User Basiliscofresco

Poucas pessoas sabem, mas meteoritos (nome que damos a pedaços de rochas espaciais que "sobrevivem" à queima durante a entrada em nossa atmosfera) são corpos que possuem muitos compostos químicos. No interior dessas rochas já foram localizados aminoácidos em abundância, e até proteínas!

6. Centro da Via Láctea

Imagem: NASA/ESA/SSC/CXC/STSCI

Acredite se quiser, mas, o centro da Via Láctea tem cheirinho de drink de framboesa. Isso acontece porque o local, onde há um buraco negro supermassivo chamado Sagittarius A*, é rico em metanoato de etila, éster que dá origem ao cheiro da framboesa — e também do rum.

7. Nuvem molecular de Touro

Imagem: NASA/ Caltech

Uma nuvem molecular é mais um dos lugares no universo onde estrelas são formadas. A nuvem molecular da Constelação de Touro contém moléculas orgânicas em abundância, além de nuvens densas de gás. O material mais encontrado por lá é o hidrogênio, mas também há monóxido de carbono.

8. Nebulosas planetárias

Imagem: NASA

Nebulosas planetárias, criadas quando estrelas gigantes vermelhas "morrem", contêm dezenas de espécies moleculares. Um exemplo é o da Nebulosa da Ampulheta, localizada na constelação de Musca. Esse local é rico em nitrogênio, hidrogênio e oxigênio, além de outras moléculas complexas como fulerenos compostos de 60 átomos de carbono, cada.

9. Nuvens galáticas

Imagem: José Jiménez / ASTROMET / FLICKR

Fios interestelares, normalmente chamados de "nuvens cirrus interestelares" ou "nuvens galáticas", contêm mais de 160 moléculas de compostos orgânicos em cadeia. Esses fenômenos são geralmente encontrados nos limites da Via Láctea.

10. Rochas em Marte

Imagem:  NASA / JPL / CORNELL

Quando se fala em vida fora da Terra, o planeta Marte quase sempre está presente na discussão, de alguma maneira. Mas, falando apenas do que a ciência já descobriu a respeito dessa questão no Planeta Vermelho... sabemos que rochas sedimentares por lá contêm moléculas orgânicas diversas e compostos ricos em carbono. Recentemente, o rover Curiosity, da NASA, localizou mais moléculas orgânicas em rochas sedimentares ricas em enxofre e carbono, também. Além disso, a cor escurecida vista na foto acima, que mostra uma região da Cratera Victoria, pode ser indicativo da presença de água na superfície do planeta em seu passado muito distante.

Fonte: Starts With a Bang

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.