Zack Snyder revela o que mudaria se dirigisse Watchmen nos dias atuais

Zack Snyder revela o que mudaria se dirigisse Watchmen nos dias atuais

Por Claudio Yuge | Editado por Patrícia Gnipper | 17 de Maio de 2021 às 20h00
Warner Bros

Zack Snyder já era um conhecido jovem promissor quando ainda produzir videoclipes quando ganhou o mundo com seu remake de Madrugada dos Mortos, em 2004. Três anos depois, ele voltou a fazer sucesso, dessa vez com 300, o que o alçou ao comando de outra adaptação de quadrinhos, Watchmen, em 2009. E, embora a produção tenha até agradado boa parte dos fãs, até hoje muita gente pensa se ele mudaria o final, que foi o principal alvo de críticas, já que a ameaça apocalíptica do encerramento da trama nas telonas é completamente diferente da obra de Alan Moore e Dave Gibbons.

Corta para 2021, muita coisa mudou. Snyder esteve à frente de todo um universo de heróis, com as propriedades da DC Comics na Warner, e já até “refez” um outro filme seu, Liga da Justiça. E, de 2009 para os dias de hoje, muita coisa mudou no mercado, como a aceitação por parte do público com relação a filmes mais longos e a sofisticação dos efeitos especiais — que o diga seu Snyder Cut, que ganhou novas cenas e ficou com um total de quatro horas.

Na semana que passou, o site Uproxx entrevistou o diretor, que lança nesta sexta-feira (21) seu novo filme de zumbis, o aguardado Army of the Dead. Questionado se agora, à luz dos avanços tecnológicos, mudaria Watchmen, ele respondeu o seguinte: "Eu amo Watchmen. Não me arrependo. Amo esse filme 100 por cento. É exatamente o que eu queria [ter feito]... Mas diria também que, baseado em fazer o filme que acabei de fazer, Liga da Justiça, poderia considerar mudanças", comentou.

O final da adaptação (Imagem: Reprodução/Warner Bros)

Vale lembrar que o final dos quadrinhos envolve uma lula gigante interdimensional que destrói Nova York, e, em sua adaptação, isso foi substituído por um derretimento nuclear — algo que foi até “revisto” na série da HBO, que trouxe algo mais semelhante às revistas. Contudo, há indícios de bastidores que mostram a possibilidade da versão original ter sido discutida antes da escolha por esse encerramento alternativo. E para que isso acontecesse, ele mesmo disse que “precisaria de um filme um pouco mais longo”.

O final dos quadrinhos (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Em tempo, a versão de Watchmen que foi para os cinemas tem 162 minutos, enquanto uma “versão do diretor” lançada posteriormente já agregou mais algum tempo, chegando aos 186 minutos. E o Ultimate Cut, que também chegou depois, incluiu todos os capítulos da animação baseada na história paralela Contos do Cargueiro Sombrio e ajudou a prolongar a trama para 216 minutos. Ou seja, a ideia de mexer no filme já foi explorada no passado.

Mas, com essa revelação feita por Snyder, não se surpreenda se encontrar por aí uma nova campanha com a hashtag #SquidCut, pedindo um novo corte de Watchmen com seu final fiel aos quadrinhos sendo requisitado por seus incansáveis fãs mais ardorosos. A propósito, Army of the Dead tem estreia prevista para esta sexta-feira (21), na Netflix.

Fonte: Uproxx

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.