Sandman | Série da Netflix pode aprofundar personagens secundários das HQs

Sandman | Série da Netflix pode aprofundar personagens secundários das HQs

Por Laísa Trojaike | 14 de Abril de 2020 às 11h58
Vertigo

Há muito que se fala de uma adaptação audiovisual de Sandman, um dos quadrinhos mais cultuados e icônicos de todos os tempos. No entanto, seja pelo fandom, seja pela própria estrutura narrativa dos quadrinhos, o processo de adaptação vem se arrastando e, hoje, está nas mãos da Netflix, que fará uma série live-action.

Com Neil Gaiman, criador dos quadrinhos, como roteirista e produtor executivo do projeto, os fãs estão se sentindo um pouco mais seguros, sobretudo depois de algumas declarações feitas por ele no Twitter em 2019, quando disse que tentariam fazer a adaptação “tão pessoal e verdadeira quanto os melhores quadrinhos de Sandman pareceram”, com o diferencial de ser ambientada nos dias atuais.

Na mesma época, Gaiman esclareceu que não tentariam abarcar muitos acontecimentos em pouco tempo. A princípio, a primeira temporada terá 11 episódios, que contarão a história de Sandman em Prelúdios e Noturnos (e talvez alguma coisa mais).

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Diante disso, o The Illuminerdi elencou alguns pontos que deverão ser centrais na adaptação, sobretudo com base no que sabe até agora sobre os personagens que supostamente irão aparecer na série. Conforme reportado por canais como CBR em fevereiro deste ano, a lista de personagens vazou, revelando alguns detalhes da produção.

Da esquerda para a direita: Roderick Burgess, Alex Burgess e Ethel

A primeira previsão diz respeito ao personagem Roderick Burgess, muito importante para narrar a captura de Morpheus (ou Sandman, ou Sonho), que acaba aprisionado no lugar de sua irmã em um ritual que não dá certo e frustra o objetivo de Burgess de tornar-se imortal. Como o personagem será interpretado por um ator convidado, acredita-se que seu aparecimento não irá permear a temporada toda.

Quando Roderick morre, quem assume como vigia do Morpheus é seu filho, Alex Burgess, que, ao buscar no Sonho a imortalidade, acaba acidentalmente libertando Morpheus, que, em retaliação, o prende em um ciclo eterno de pesadelos. Essa relação da família Burgess com Morpheus acontece rapidamente nos quadrinhos, mas pode ganhar um desenvolvimento maior ou diferente na série, uma vez que a ficha de personagens vazada indica um Alex mais simpático e em conflito com os interesses da sua família. Além disso, para dar mais profundidade ao personagem, sua sexualidade poderá ser explorada, no sentido de ser mais uma das coisas que Alex guarda consigo: uma vez que esses eventos acontecem décadas antes dos eventos centrais do arco, os roteiristas poderão levar em conta a ideia de que a época em que for ambientada essa parte da história não apresenta uma configuração social segura para Alex assumir sua sexualidade.

Coríntio (Imagem: Vertigo)

Outros dois grandes personagens que têm pouco desenvolvimentos nos quadrinhos e que provavelmente serão mais bem trabalhados na série são o pesadelo Coríntio e Ethel, ambos com aparições previstas para diversos episódios. Enquanto Coríntio, por ser um pesadelo criado por Morpheus, não tem motivos para precisar de um histórico que lhe dê profundidade, Ethel é uma humana com um papel muito importante no que diz respeito a pelo menos uma das três ferramentas de Morpheus: a algibeira, o elmo e o rubi.

Ethel era a amante de Roderick na época da captura de Morpheus, mas ela acabou o deixando e, ao ir embora, levou consigo o rubi. Quando Morpheus, então liberto, parte em busca das suas ferramentas, ele descobre que Ethel deixou a pedra mágica para o seu filho, que é ninguém menos que John Dee, o Doutor Destino da DC Comics (sim, Sandman faz uma retcon do personagem).

Em termos de lógica, as especulações do The Illuminerdi fazem todo sentido, sobretudo se lembrarmos que as adaptações não podem ser absolutamente fiéis, uma vez que são artes diferentes. A estrutura narrativa brilhante de Sandman certamente sofrerá perdas durante a transição de linguagens artísticas e, a não ser que a série assuma uma postura mais autoral, veremos algo mais linear, com Morpheus guiando a história central, em que alguns outros personagens (não todos) surjam em seu caminho.

Fonte: The Illuminerdi, CBR

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.