Os 7 melhores filmes de Pedro Almodóvar

Os 7 melhores filmes de Pedro Almodóvar

Por Sihan Felix | 18 de Agosto de 2020 às 09h20
Warner Bros. Entertainment

Pedro Almodóvar, um dos cineastas mais icônicos e celebrados — e talvez um dos mais inimitáveis —, costuma transformar histórias essencialmente pesadas em algo de assimilação fácil e que deixa o peso dos pensamentos para o pós-filme. São muitas obras em uma carreira praticamente sem baixas, o que faz qualquer lista de melhores trabalhos dele poder contar com qualquer filme seu (ou quase isso).

Nascido em uma família sem recursos financeiros, para que ele pudesse estudar cinema de maneira formal, Almodóvar foi funcionário de empresa telefônica, desenhista de quadrinhos, cantor em uma banda de rock... até chegar ao posto de um dos diretores mais premiados da história do cinema: são dois Oscars, dois Globos de Ouro, quatro BAFTAs, quatro prêmios do Festival de Cannes e seis prêmios Goya, além de dezenas de festivais ao redor do planeta.

Mas, sem tanta demora, vamos à lista dos 7 melhores filmes de Pedro Almodóvar que o Canaltech preparou (em ordem crescente de lançamento).

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

7. Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos

Provavelmente é o filme mais direcionado à comédia de Almodóvar – depois do subestimado Os Amantes Passageiros (de 2013). Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos traz uma atriz de televisão que encontra vários personagens excêntricos após embarcar em uma jornada para descobrir por que seu amante a deixou de repente.

6. Carne Trêmula

O senso de ironia em Carne Trêmula é essencial para a compreensão do cinema de Almodóvar, que, inclusive, interrompe uma luta para brigões vibrarem com um gol da seleção espanhola de futebol em um jogo transmitido pela televisão. A história segue um ex-presidiário (Víctor) que permanece apaixonado pela esposa de um ex-policial (David) – este, por sua vez, ficou paraplégico após um tiro da arma de Víctor.

5. Tudo Sobre Minha Mãe

Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2000, Tudo Sobre Minha Mãe é uma das obras mais sensíveis de um diretor que vive dramaturgicamente à flor da pele. Ao mesmo tempo, Almodóvar nunca cai no melodrama banal. É tudo consistente na história de um jovem que quer ser escritor e também descobrir a identidade da sua segunda mãe, uma mulher trans. É um dos melhores filmes do final do século passado.

4. Fale com Ela

Vencedor do Oscar de melhor roteiro original em 2003, Fale com Ela é uma das obras-primas do cineasta espanhol. Com seu talento único tanto para as relações humanas quanto para a construção de um universo estético muito coeso, Almodóvar conta a história de dois homens que compartilham uma amizade diferente enquanto cuidam de duas mulheres que estão em coma profundo.

3. Má Educação

Má Educação é um ensaio sobre os efeitos da escolaridade religiosa, trazendo, ainda, debates sobre abuso sexual. O filme é, talvez, um dos mais esteticamente sombrios da carreira de Almodóvar. Por mais que sua assinatura esteja presente, praticamente tudo tem uma opacidade que acaba formando uma unidade temática condizente ao tema.

2. Volver

Volver tem apenas 14 anos de idade, mas é possível que muito em breve seja definido como um clássico de fato. A história segue uma mãe que retorna à sua cidade natal para consertar as situações que ela não conseguiu resolver durante a vida. Tem comédia, tem drama e é muito do que Almodóvar tem para oferecer de melhor.

1. A Pele que Habito

A Pele que Habito, por meio de um debate real e atual, utiliza o imaginário e até mesmo a fantasia para contar a história de um cirurgião plástico brilhante que, assombrado por tragédias do passado, cria um tipo de pele sintética que resiste a qualquer tipo de dano. Sua cobaia acaba por ser alguém rodeado de mistério, a chave de uma obsessão. Seria o filme com menos cores de Almodóvar? É provável. E tudo está ligado, mais uma vez, à temática, que é plástica – mas sem deixar de ser humana ao extremo (como tudo do espanhol).

Deixar Dor e Glória (2019), Julieta (2016), Abraços Partidos (2009), Ata-me (1989) e outros de fora da lista foi difícil. Ao mesmo tempo, fazer uma lista de 10 seria mais confortável e a ideia é que vocês possam citar títulos nos comentários. Então... para todos os acréscimos que vocês acharem necessários, comentem. Tudo será bem-vindo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.