Coringa | As 11 maiores loucuras que o Palhaço do Crime já cometeu

Por Claudio Yuge | 01 de Outubro de 2019 às 13h13
arthur suydam

Coringa está chegando aos cinemas brasileiros e nesta semana temos algumas matérias especiais para celebrar esta elogiada nova versão do Palhaço do Crime, interpretado por Joaquin Phoenix, em filme de Todd Phillips. Tudo bem que é difícil alguém não conhecer o personagem, mas você sabe o que realmente ele fez para construir essa reputação?

Pensando nisso, o Canaltech escolheu as 11 maiores loucuras do mais perverso e caótico arqui-inimigo do Batman.

Leia também: Por que o Coringa de Joaquin Phoenix é tão diferente? O Canaltech explica

11. Obrigou o Batman a escolher entre sua amada e um novo defensor de Gotham

Em 2012, em Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, o ápice da trama traz o Coringa criando um cenário em que o Homem-Morcego precisa escolher entre as vidas de Harvey Dent e Rachel Dawes.

(Imagem: Reprodução/Warner Bros.)

Embora o herói tenha encontrado uma forma de estar nos dois endereços, isso não foi o suficiente para salvar sua amada, que explodiu com a bomba do Palhaço do Crime.

10. Fez chover vidro envenenado em Gotham

Em Batman Confidential 11, de 1988, o roteirista Michael Green e o desenhista Denys Cowan produziram uma história em que o Coringa quer mais pessoas parecidas como ele. O resultado foi uma chuva de vidro quebrado, que atingiu centenas de pessoas.

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

E o pior: quem era ferido também recebia uma dose de veneno, fazendo com que elas sorrissem ao serem cortadas.

9. Explodiu um colégio cheio de crianças

Batman: Cacofonia foi lançado em 2009 com textos de Kevin Smith e desenhos de Walt Flanagan e trouxe o vilão Maxie Zeus combinando o veneno criado pelo Coringa com ecstasy, para criar uma droga urbana chamada de “risada”.

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

Só que o Palhaço do Crime não queria que ela fosse usada pela garotada nas baladas, então simplesmente desfez a parceria explodindo um colégio cheio de crianças e adolescentes.

8. Sugeriu que Alfred tivesse sido mutilado

A Morte da Família, de Scott Snyder e Greg Capullo, foi lançado em 2012 e redefiniu o Coringa em uma versão mais caótica e com o rosto esfolado. O vilão consegue prender todos os “batfamiliares” em uma mesa, com uma bomba embaixo das cadeiras.

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

Ao contar detalhes do seu plano, o observador detetive pergunta: “Onde está Alfred?”. O Palhaço do Crime sorri enquanto olha para um cloche prateado cobrindo algo sobre o prato.

7. Matou o Robin Jason Todd

Em 1988, a DC Comics vivia um período inconoclasta, trazendo reflexões mais sombrias para suas histórias após a chegada do Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller, e de Watchmen, de Alan Moore. Foi quando uma minissérie inovou ao trazer a interação dos leitores, que definiram a conclusão da história por meio de uma pesquisa telefônica.

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

Batman: Uma Morte em Família, de Jim Starlin e Jim Aparo, mostra o Coringa matando, de forma impiedosa, o Garoto-Prodígio com uma série de pancadas de um pé-de-cabra de aço.

6. Matou um cara com um lápis

Em 2012, em Batman: O Cavaleiro das Trevas, o Coringa de Heath Ledger mostra suas habilidades como assassino ao bater a cabeça de um capanga que estava ao seu lado em uma mesa.

(Imagem: Reprodução/Warner Bros.)

Antes disso, o vilão tinha colocado um lápis, na posição em que ele poderia entrar pelo olho e penetrar o cérebro.

5. Envenenou produtos de beleza

Aquele lado fanfarrão criado por Cesar Romero para a série de TV do Batman nos anos 60 deu adeus definitivo quando parte da insanidade mais real e perversa do vilão foi levada às telonas, com Jack Nicholson, em 1989. Batman, de Tim Burton, ajudou a redefinir o personagem.

(Imagem: Reprodução/Warner Bros.)

No filme, ele contamina produtos de beleza e higiene com uma toxina química chamada de Smylex — na história, isso fazia parte de sua obsessão pelo seu rosto desfigurado. Isso atingiu algumas pessoas e deixou Gotham inteira com pavor de usar maquiagem ou até mesmo desodorante.

4. Distribuiu algodão-doce envenenado

Em O Cavaleiro das Trevas, graphic novel de 1986, Frank Miller mostra um Coringa aparentemente “curado”, querendo se redimir com o mundo todo. Era mentira, claro, e ele simplesmente envenena todo mundo ao seu redor antes de escapar.

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

Não contente, ele segue para um estande de feira para distribuir algodão-doce tóxico, matando 16 escoteiros de uma só vez.

3. Assassinou Lois Lane grávida e corrompeu o Superman

No game Injustice: Gods Among Us, de 2013, vemos um Superman como líder autoritário, em uma realidade paralela em que a Liga da Justiça governa com mão de ferro. Aos poucos, ficamos sabendo que isso aconteceu porque o Coringa levou o Homem de Aço ao limite.

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

O Palhaço do Crime roubou um submarino nuclear e intoxicou o Superman com uma versão do gás do medo do Espantalho combinado com sua própria fórmula mortal e kryptonita. Ao espancar Apocalypse até a morte, Clark percebe, então, que na verdade o envenenamento tinha feito ele confundir o monstro com sua própria esposa, Lois Lane, grávida — e o pior, a morte dela ainda detonou uma bomba nuclear em Metropolis, pulverizando toda sua população, incluindo os melhores amigos de Kal-El.

2. Aleijou Bárbara Gordon

Um dos momentos mais icônicos do Coringa está em A Piada Mortal, talvez sua mais sombria e definitiva história — não à toa, a nova adaptação é bastante influenciada pela graphic novel de Alan Moore e Brian Bolland, de 1988.

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

A edição mostra Batman recebendo fotos do Comissário Gordon sendo sodomizado. Ao procurar pelo Palhaço do Crime, o Homem-Morcego recebe fotos de Barbara Gordon, a Batgirl, nua, sugerindo que ela tenha sido violentada sexualmente. Ela também levou um tiro na bacia e ficou aleijada, sem poder mover nada da cintura para baixo.

1. “Obrigou” Batman a matá-lo

No mesmo Piada Mortal, Batman é levado ao limite e, na sequência final, questiona a si mesmo e ao vilão sobre como vai acabar a história entre os dois — eles teriam mesmo que matar um ao outro?

(Imagem: Reprodução/DC Comics)

O Palhaço do Crime conta uma piada e em seguida os dois caem na risada juntos. Vemos a “câmera” abaixando para as gotas da chuva caindo em poças d’água, com as gargalhadas cessando bruscamente, enquanto uma ambulância se aproxima. Muitos, incluindo Grant Morrison, acreditam que foi nesse momento que Batman foi derrotado e realizou o que o Coringa queria.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.