Veja 6 modelos de negócios digitais para começar de casa pela internet

Veja 6 modelos de negócios digitais para começar de casa pela internet

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 10 de Dezembro de 2021 às 23h20
Envato/wutzkoh

Trabalhar em casa não é possível apenas para funcionários de grandes empresas. Você também pode empreender usando apenas um aparelho conectado à internet, do conforto do lar — e como um MEI ou solopreneur em muitos casos. Dá para escolher entre diversos tipos de negócio, e na prática você tem boas chances contra concorrentes que tenham equipes maiores ou um escritório físico.

Mas antes de se empolgar, tenha em mente que o processo é longo e é preciso pesquisa, paciência e persistência, como em qualquer outro empreendimento. Algumas perguntas devem ser feitas a si mesmo para começar:

  • Qual será o seu produto ou serviço?
  • Qual será o seu cliente?
  • Quais serão seus principais concorrentes?
  • Qual será a sua capacidade de produção? Você dispõe de quanto tempo no dia para isso?
  • Qual será a abrangência do seu negócio?
  • Qual problema do seu cliente você pretende resolver?
  • Quais são as tecnologias necessárias para o negócio acontecer?
  • Como será o marketing do seu negócio para atingir seu cliente?
  • Vou precisar de algum recurso que não disponho em casa, como espaço físico para estoque ou mão de obra? Se sim, posso terceirizá-lo? E faz sentido fazer isso sem comprometer o fluxo de caixa do empreendimento?
  • Quais são os potenciais riscos e como posso me proteger deles?

Feitas esses questionamentos, que nortearão as pesquisas de mercado e pré-produção da empresa, listamos abaixo algumas opções que podem ser interessantes para quem quiser entrar nesse modelo de trabalho.

Atendimento e consultoria

Se você se formou ou tem bastante experiência em um certo ramo profissional, você é capaz de ajudar outras pessoas que precisem desse tipo de conhecimento para resolver problemas particulares. Um psicólogo pode realizar sessões de terapia por videoconferência. Um personal trainer pode instruir sobre rotinas de exercícios. Um bom vendedor orientaria profissionais iniciantes do comércio, e por aí vai.

Educação

Ainda na pegada anterior, você pode realizar cursos online de conhecimentos técnicos específicos. Plataformas como Hotmart, Eduzz e Monetizze se especializaram no chamado marketing de afiliados, que são plataformas voltadas a vender conteúdos digitais como e-books, podcasts, cursos online e webinars, entre outros. Fora desses sites, você também pode abrir um blog ou perfil em rede social e explicar e divulgar seu conteúdo dessas formas. Já as aulas podem acontecer por ferramentas gratuitas de videoconferência, como o Skype.

Serviços e soluções digitais

Você consegue atuar como free-lancer se o computador com internet for suficiente para trabalhar e desenvolver produtos e serviços para terceiros. Um desenvolvedor pode programar, testar e enviar os códigos para clientes; um designer de sites faz o mesmo com programas como Photoshop e enviar tudo por email ou serviços de armazenamento em nuvem. Um jornalista pesquisa, apura e escreve reportagens de casa. Só para ficar em alguns exemplos.

(Imagem: Reprodução/Thought Catalog/Unsplash)

Delivery de marmitas e refeições

Se você cozinha bem e sua cozinha tem tudo que precisa, dá para preparar refeições e marmitas para um pequeno público. É possível abrir um perfil de vendedor no iFood, Rappi e outras plataformas do gênero e oferecer seus serviços por lá, que eles cuidam da parte financeira, entrega e outros elementos da operação.

E-commerce

Sim, é possivel ter uma loja online de casa, mas com alguns poréns. É claro que você não vai virar um supersite de e-commerce sozinho do apartamento. Mas se você é um artista plástico ou artesão, pode vender suas obras. Já um profissional com experiência em vendas pode ser a ponte entre fornecedores de um produto e os clientes. E plataformas para divulgar e vender osprodutos não faltam. Até mesmo os gigantes do setor, como Submarino, Magazine Luiza e Amazon, já trabalham no esquema marketplace, isto é, cedem o site para lojas menores venderem ou revenderem por lá, além de prestarem estoque e entrega.

Produtor de conteúdo

Hoje dá para criar um canal de conteúdo audiovisual no YouTube ou Twitch com facilidade e após um tempo viver de publieditoriais, desde que se consiga fidelizar uma base grande de espectadores. Se vídeo não for a sua praia ou as câmeras profissionais forem caras demais, dá para ser um podcaster. Ainda que seja preciso investir em bons equipamentos de áudio, mesmo eles saem menos caros que os de vídeo.

Fonte: Sebrae, Santander

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.