Que tipo de empreendedor(a) você é na pandemia?

Por Renato Ribeiro | 23 de Julho de 2020 às 15h15
unsplash

Com o surgimento da pandemia indiscutivelmente perdemos de diversas formas, porém, ganhamos ao sermos lançados para fora da nossa zona de conforto. Estamos sendo convidados a repensar estratégias pessoais e de negócios. Digo convidados porque alguns estão aguardando voltarmos "ao normal" como era antes. Mas, e se o novo normal for exatamente o que vivemos no agora?

Nós empreendedores precisamos nos adaptar urgentemente ao novo. Segundo o dicionário, a palavra adaptação está relacionada a se conformar com as circunstâncias e se adequar ao ambiente. Deixar de lado velhos paradigmas, apegos, pré-conceitos, em resumo, tudo o que nos torna conservadores, e dar oportunidade às experiências.

Experimentação é um dos grandes diferenciais de uma startup, poder testar rápido aprendendo com os erros e acertos de forma cíclica e contínua. Precisamos pensar e agir como uma startup de sucesso. E não digo isso sem fundamento, eu mesmo dentro da série de artigos Vida de Empreendedor, publicada semanalmente no Canaltech experimentei outros formatos de conteúdo de forma paralela e isolada para grupos menores.

Mantive durante seis meses um podcast independente sobre o mesmo tema de forma complementar aos artigos publicados, avaliando a audiência e como o público reagia a novos assuntos em canais diferentes. Embora eu tenha gostado da experiência como âncora de um podcast próprio, entendi até onde foi importante para o projeto e o momento certo de interromper. Como dizem, pivotei!

Carl Gustav Jung foi um grande psiquiatra e psicoterapeuta, que fundou a psicologia analítica, propondo os conceitos da personalidade extrovertida e introvertida, arquétipos e o inconsciente coletivo. De acordo com Jung, "cada ser humano é único, autônomo, direcionado e criativo, mas dispõe de um conjunto de sistemas psíquicos, energeticamente ativados e mantidos, que visam ampará-lo na realização de sua potencialidade plena e que, parte deste sistema, é patrimônio coletivo, inconsciente, supra pessoal e apresenta conteúdos universais". Seguindo este pensamento, deixo uma reflexão para você, em qual grupo você se encontra nesta pandemia? Conservadores ou determinados?

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.