Bill Gates financia projetos de 'camisinhas do futuro'

Por Redação | 23 de Novembro de 2013 às 13h12
photo_camera Divulgação

Após sair do comando da Microsoft, Bill Gates dedica parte de seu tempo e fortuna investindo em projetos de diferentes áreas do conhecimento. Junto de sua esposa, Melinda, o bilionário criou a Fundação Bill & Melinda Gates, que apoia iniciativas voltadas para a área da saúde, desenvolvimento de soluções em países pobres e investimento em novas tecnologias para facilitar o dia a dia do usuário.

Um desses protótipos é a "camisinha do futuro". Anunciada em março deste ano, a ideia era elaborar um novo tipo de preservativo que seja menos incômodo de ser usado para incentivar homens e mulheres a não dispensar o uso do acessório durante o sexo. Na época, Gates concordou com a premissa de que as camisinhas diminuem o prazer nas relações sexuais e podem comprometer a ereção masculina, mesmo considerando o uso necessário. Por isso, o objetivo da campanha era criar um preservativo mais "moderno" que aumente ou, de fato, preserve o prazer sexual, além de diminuir os casos de gravidez indesejada.

Agora, quase nove meses depois de revelar o projeto, a fundação de Gates e Melinda anunciou os escolhidos com as ideias mais inovadoras, como informam os sites NBC News e NY Daily News. A instituição recebeu 812 projetos, dos quais 11 foram selecionados e premiados com US$ 100 mil cada. Ao longo do desenvolvimento, o valor pode aumentar para até US$ 1 milhão, de acordo com a inovação proposta pela equipe.

Entre as criações está o chamado "preservativo de ultra reconstituição de colágeno". Desenvolvido pela Apex Medical Technologies, em San Diego, nos Estados Unidos, o produto fornece a sensação de pele humana - como se o usuário não estivesse com o acessório -, e é feito a partir de fibras de colágeno tiradas do tendão de Aquiles de vacas ou da pele de peixes. Marcos McGlothlin, presidente da Apex, diz que o preservativo também é "incrivelmente forte".

Um outro projeto é o da "camisinha adaptável", elaborado por um time da Cambridge Design Partnership, no Reino Unido. Os pesquisadores criaram um design de preservativo masculino feito com um material que se adapta a todos os tamanhos e formatos de pênis e contrai "gentilmente" durante a relação sexual, aumentando a sensação de prazer.

Há também uma camisinha de grafeno, projetada pelo Instituto Nacional do Grafeno da Universidade de Manchester, no Reino Unido. De acordo com o ExtremeTech, a ideia é aproveitar a forma cristalina, leve e extremamente fina do carbono para aumentar a sensação de naturalidade na hora do sexo. Já o "Rapidom", uma outra proposta vinda da África do Sul, foi criada para vestir o pênis com apenas um movimento, sem muita complicação.

Outros projetos incluem a criação de uma camisinha que possua nanopartículas contendo medicamentos antivirais ou antibacterianos para evitar doenças sexualmente transmissíveis. Segundo Stephen Ward, da Fundação Gates & Melinda, os maiores problemas relatados pelos desenvolvedores foram em "melhorar a lubrificação, atrito interno e externo e a transferência de calor do pênis para a camisinha".

"A ideia é tornar o preservativo mais fácil para as pessoas usarem no escuro, independentemente da situação", disse Ward.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.