Clientes lesados pela loja não-oficial da Xiaomi começam a receber reembolso

Por Felipe Junqueira | 17 de Fevereiro de 2020 às 16h15
gizmochina
Tudo sobre

Xiaomi

Saiba tudo sobre Xiaomi

Ver mais

Quase três meses já se passaram desde a Black Friday. Pouco mais de um mês desde que vieram à tona os problemas de um monte de compradores da MiStore Brasil, loja não-oficial da Xiaomi no país, que não entregou os produtos aos clientes que aproveitaram este período de descontos. Na época, as pessoas que compraram via cartão de crédito conseguiram o reembolso, as demais, tiveram que lutar pelos seus direitos.

Eis que, nesta segunda-feira (17), diversos consumidores começaram a receber resposta e até o aviso de reembolso da compra. Estes, são compradores que optaram pela modalidade via boleto no PagSeguro. Muitos já estavam desistindo, já que com a intermediadora da compra não obtiveram sucesso.

Consumidores como Karine Miranda, que tentou adquirir um Mi 9T na promoção da Black Friday, mas nunca recebeu o smartphone. Ela entrou em contato com o e-mail da PAD Eletrônicos informado na plataforma da PagSeguro no começo de fevereiro. Hoje, recebeu uma resposta confirmando o reembolso.

Dados da PAD Eletrônicos aparecem na transação com o PagSeguro (Captura de tela enviada ao Canaltech por comprador da MiStore Brasil)

Karine contou à reportagem do Canaltech que obteve os dados de contato da PAD Eletrônicos diretamente na plataforma do PagSeguro. Escreveu uma mensagem e enviou para o e-mail disponibilizado na plataforma depois de ter tentado resolver o assunto junto à intermediária. Felizmente, ela conseguiu reaver o dinheiro, bem como outros prejudicados que também disseram ter recebido a promessa de reembolso.

A PAD Eletrônicos era apenas mais um dos nomes envolvidos no caso. A MiStore Brasil era oficialmente controlada pela Action Sales Companhia Digital LTDA, com CNPJ 29.497.760/0001-38, mas dependendo da forma ou intermediário de pagamento, outros nomes eram informados ao comprador. Um deles era a JCell, enquanto outro, que aparecia nos boletos, era a PAD Eletrônicos.

Esta última empresa seria a proprietária da Huawei Store Brasil, que também saiu do ar e fazia a mesma coisa que a MiStore Brasil: importava os smartphones, no caso da Huawei/Honor, e revendia por aqui com todos os custos atrelados. Contudo, nem sempre os produtos da Xiaomi realmente estavam em estoque. Por isso, a entrega podia demorar quase o mesmo tempo que levaria para o próprio consumidor importar.

A PAD Eletrônicos já confirmou ser parte do Grupo Action. Assim, podemos afirmar que a companhia finalmente começou a cumprir com sua promessa de reembolsar todos aqueles que compraram na MiStore Brasil e jamais receberam o produto.

O que fazer para buscar o reembolso?

Mi Store Brasil prometeu reembolso a todos os consumidores prejudicados, mas não tem facilitado o processo (Captura de tela: site da Mi Store Brasil)

Se você fez a compra no boleto bancário e o sistema intermediário (PagSeguro, Mercado Pago ou PayPal) e não conseguiu reaver o investimento, pode tentar o contato diretamente com a PAD Eletrônicos. O contato da empresa é [email protected]. Envie um breve texto explicando a situação, com o número do pedido e uma cópia do boleto bancário.

A resposta pode demorar alguns dias para chegar. Caso a empresa não retorne em até uma semana, insista. Se responder com um prazo, fique de olho e volte a cobrar assim que esse período passar. Alguns consumidores disseram ter entrado em contato entre os dias 4 e 5 de fevereiro, e só agora estão recebendo uma resposta. Outros informaram ter enviado um e-mail no mesmo período, e ainda aguardam um retorno.

Lembre-se: é seu direito cobrar pelo reembolso de um produto que nunca chegou até você. A MiStore Brasil, promete isso na nota de esclarecimento que ainda está no ar.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.