vRotors libera drones reais para serem controlados remotamente por usuários

Por Nathan Vieira | 15 de Setembro de 2019 às 21h00

Uma empresa chamada vRotors, sediada em Los Angeles, nos Estados Unidos, pretende que usuários de computador ou óculos de realidade virtual espalhados pelo mundo inteiro controlem drones reais remotamente, para participar de games envolvendo realidade aumentada. Na quinta-feira (12), a empresa compartilhou pela primeira vez um vídeo mostrando a proposta do funcionamento dessa plataforma.

Basicamente, na plataforma, o jogador enxerga tudo por meio da câmera frontal do drone. A vRotors está integrada à Twitch e a proposta é tornar possível as transmissões para que o público assista e interaja. Por enquanto, a plataforma se encontra na versão beta, e os streamers interessados em participar devem entrar em contato, disponível por meio do site oficial.

Veja o vídeo que foi compartilhado na conta do YouTube da vRotors:

E por falar nos recursos que acompanham a plataforma, é válido perceber que a realidade aumentada coloca objetos 3D pem um ambiente real, oferecendo aos jogadores a capacidade de pilotar um drone real em um curso com disparos de armas e inimigos. Além disso, por meio da realidade aumentada, a vRotors também conta com um sistema de armas, com mísseis e lasers de fogo para destruir os alvos inimigos ou atirar fogo para confundir seus armamentos.

A empresa em questão foi fundada por Neil Malhotra, por um veterano inovador em tecnologia na mídia aeroespacial e de entretenimento, ao lado de John Zuur Platten, pioneiro da indústria de jogos eletrônicos. "A missão é transformar a indústria de videogames em uma experiência altamente interativa", consta no site oficial da vRotors. "Com o mercado em expansão de drones agora recebendo atenção global e sendo destaque, vimos uma oportunidade de oferecer essa experiência a um público muito mais amplo", afirma Neil Malhotra, que além de co-fundador também é o CEO da vRotors. “Um dos maiores obstáculos para pilotar um drone é a despesa e o risco que o acompanham. Nós removemos isso oferecendo voos de drone de corrida e combate de 15 minutos que aproveitam os recursos de realidade aumentada e realidade virtual encontrados nos jogos”, acrescenta o CEO.

Fonte: Business Insider via Mundo Conectado

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.