Conheça os 10 aviões mais rápidos do mundo

Por Felipe Ribeiro | 27 de Março de 2021 às 12h00
Reprodução/Pixabay, Jim Gordon

A aviação é um mundo dos mais apaixonantes para quem gosta de tecnologia. Por ser uma indústria de vital importância para governos mundo afora, o investimento é pesado e a evolução dos produtos, no caso, as aeronaves, acontece de maneira muito rápida e consistente, seja no campo militar ou no comercial.

E se enganam aqueles que pensam que a tecnologia está presente apenas nos mecanismos de segurança das aeronaves. Para atingir supervelocidades, é necessário, além da engenharia, uma boa pitada de tecnologia para fazer com que os aviões superem marcas expressivas, como a da velocidade do som, conhecida como Mach 1.

Uma lista com os aviões mais rápidos já feitos no planeta, era natural que as opções ficassem restritas aos modelos militares, mais precisamente sobre os caças, que superam, com facilidade, os 2.000 km/h. Mas, apesar de tamanha velocidade, cada um tem sua peculiaridade e função em um exercício de combate.

Com isso em mente, o Canaltech preparou esta lista com os 10 aviões mais rápidos do mundo de todos os tempos.

10. Sukhoi Su-27

Desenvolvido pela União Soviética em 1977, o Sukhoi Su-27 é um caça russo com motores duplos e extrema facilidade para manobras, sendo considerado o principal rival do norte-americano F-15 Eagle por ser leve e agir na defesa de outros aviões.

Imagem: Reprodução/Jakub Hałun

É considerado um dos melhores aviões de guerra da antiga União Soviética, tendo seu design e tecnologias levados adiante por mais algumas gerações. Seu diferencial, além da leveza, era a presença do sistema Fly-By-Wire, presente em muitos aviões comerciais.

Velocidade Máxima: 2.500 km/h

9. McDonnell Douglas F-15 Eagle

Considerado por muitos um dos melhores caças de todos os tempos, o F-15 Eagle tem como diferencial sua aceleração, alto grau de manobra e foco no combate a outros aviões, tal qual seu concorrente direto, o russo Sukhoi Su-27. Além disso, ele é capaz de operar em quaisquer condições térmicas ou climáticas.

Imagem: Reprodução/Alan Wilson

Na ativa desde 1978, o F-15 Eagle ainda é produzido pela Boeing, que adquiriu a McDonnel Douglas 1997. Atualmente, EUA, Japão, Coreia do Sul, Israel, Arábia Saudita e Singapura utilizam o caça, que é equipado com armamento de curto e médio alcances de última geração.

Velocidade Máxima: 2.655 km/h

8. General Dynamics F-111 Aardvark

Fabricado pela norte-americana General Dynamic, o F-111 Asrdvark é um dos mais icônicos caças bombardeiros da história da aviação mundial. Apesar de não ultrapassar os 3.000 km/h, sua precisão e agilidade foram de enorme importância em diversas missões da Força Aérea dos Estados Unidos.

Imagem: Reprodução/Robert Sullivan

Com estreia em 1964, o F-111 serviu até meados da década de 90, sendo descontinuado em 1998. Ele era capaz de carregar mais de 14 toneladas de bombas e disparar mais de 2 mil tiros de metralhadora. Foram fabricadas, ao todo, 563 unidades.

Velocidade Máxima: 2.655 km/h

7. Mikoyan-Gurevich MiG-31

Até hoje utilizado pela Força Aérea da Rússia e do Cazaquistão, o MiG-31 é uma evolução do também soviético MiG-25. Embora menos rápido do que seu irmão, ele possui tecnologias mais avançadas, como o radar de detecção de inimigos com alcance de 400 quilômetros.

Imagem: Reprodução/Leukhin Fedor

Em atividade desde 1975, ele é equipado com mísseis de longo e médio alcance, metralhadoras, um canhão, interceptador ativo e alerta de aproximação. Embora em atividade, o MiG-31 teve sua produção interrompida em 1994.

Velocidade Máxima: 3.000 km/h

6. North American XB-70 Valkyrie

Sem nunca ter entrado em produção contínua, o XB-70 Valkyrie é um bombardeiro estratégico pensado para atuar em altitudes elevadas. Com essa necessidade, sua velocidade podia facilmente ultrapassar os 3 mil km/h, já detectada em seu primeiro voo oficial, em 1964.

Imagem: Reprodução/KLaRock

Bem maior do que um caça, o XB-70 chamava a atenção por seu porte e capacidade bélica. E exatamente por isso, os custos de sua produção eram além do suportado pela Força Aérea Americana, que foi obrigada a descontinuar o projeto com poucos anos de andamento.

Velocidade Máxima: 3.309 km/h

5. Bell X-2

Outra aeronave experimental, o Bell X-2 é um dos poucos aviões não-militares a ultrapassar a marca dos 3 mil km/h, mas que teve fundamental importância para o desenvolvimento de supercaças e demais aeronaves de alta performance. Sua missão começou em 1952, com a ideia de testar as condições de voo em velocidades supersônicas.

Imagem: Reprodução/NASA

Fabricado pela Bell Aircraft Corporation em parceria com a Força Aérea dos Estados Unidos, o Bell X-2 não chegou a ter produção massificada e não foi utilizado em outro tipo de exercício. Também não há sucessores diretos registrados.

Velocidade Máxima: 3.370 km/h

4. Mikoyan-Gurevich MiG-25

Ainda em atividade, o MiG-25 é considerado um dos aviões mais rápidos da atualidade. Desenvolvido em 1964 pela União Soviética, essa aeronave tem como diferencial seu sistema de alarmes e alertas, além da capacidade de interceptar jatos ou caças inimigos com precisão e agilidade.

Imagem: Reprodução/Alex Beltyukov

Além de todo esse desempenho, o MiG 25 é equipado com quatro mísseis, sendo dois guiados por infravermelho e dois por radar. Países como Argélia e Síria estão entre os proprietários atuais desses aviões.

Velocidade Máxima: 3.494 km/h

3. Lockheed SR-71 Blackbird

Um dos mais belos aviões militares de todos os tempos, o SR-71 é uma aeronave focada em reconhecimento e estratégia. Fabricado pela Lockheed, esse avião era colossal e, apesar de não ser propriamente projetado para combates, nunca foi abatido em qualquer missão sob o comando da Força Aérea dos Estados Unidos.

Imagem: Reprodução/The U.S. National Archives

Um pouco diferente de seus antecessores, o SR-71 era maior, carregava mais combustível e possuía dois cockpits, o frontal para o piloto e o traseiro para o militar responsável por executar as tarefas de reconhecimento.

Foram produzidas, ao todo, 32 unidades do SR-71 Blackbird, que tinha esse nome por causa de sua fuselagem preta, necessária para a manutenção das variações térmicas.

Velocidade Máxima: 3.529 km/h

2. Lockheed YF-12

Diferentemente do SR-71, o YF-12, outro dos belos exemplares desta lista, é mais pautado para o combate, tendo como principal característica a interceptação. Entretanto, o alto custo operacional fez com que ele fosse descontinuado logo depois do início de suas atividades, com apenas três unidades sendo produzidas.

Imagem: Reprodução/The U.S. National Archives

Uma das tecnologias mais avançadas do YF-12 era o radar Doppler, que auxiliava na detecção de inimigos. Além disso, a aeronave possuía o controle de disparo NA/ASF-18 e três misseis ar-ar guiados por radar tipo GAR-9 (posteriormente renomeado como AIM-47).

Velocidade Máxima: 3.661 km/h

1. North American X-15

O North American X-15 foi um avião experimental, mas que teve muito trabalho enquanto foi utilizado pela NASA e pela Força Aérea dos Estados Unidos. Ele foi projetado para testes em velocidades hipersônicas e altitudes que ultrapassavam os 100 quilômetros, conferindo, assim, a alcunha de astronauta àquele que o pilotasse ou estivesse a bordo.

Imagem: NASA

Sua decolagem, porém, não existia. Para colocá-lo em funcionamento, era necessário que um bombardeiro o colocasse no ar para, então, os motores de foguete XLR-99 serem ativados e o X-15 iniciar seu voo.

Uma das curiosidades sobre esse avião é que ele teve contribuição direta no programa Apollo, da NASA, que culminou na ida do Homem à Lua. Isso aconteceu porque, como citamos, o X-15 tinha a capacidade de sobrevoar a altitudes extremamente elevadas e trouxe informações importantes de como eram as manobras nessas condições.

Sua fuselagem, aliás, era extremamente resistente a todo tipo de condição térmica.

Velocidade Máxima: 7.273 km/h

Fonte: Aeroflap, Aeroporto Terravista

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.