Veja empresas de várias áreas que já aceitam pagamento em criptomoedas no Brasil

Veja empresas de várias áreas que já aceitam pagamento em criptomoedas no Brasil

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 16 de Maio de 2022 às 21h00
Reprodução/Stolbovsky/Wikimedia Commons

Apesar de terem surgido como uma alternativa às moedas físicas, as criptomoedas aos poucos ganharam um segundo uso: serem negociadas como ativos. Isso acabou se tornando, para muitos, a sua principal função. Mas isso não quer dizer que elas não possam ser usadas ainda como meio de pagamento, pois muitas empresas as aceitam.

Ainda que esse movimento esteja um pouco lento, é possível usar criptomoedas para adquirir produtos e serviços em vez de usar os tradicionais meios, como dinheiro em espécie, cartões de crédito e outros. Uma das dificuldades para a disseminação da prática é a atual variedade de moedas digitais: a mais aceita hoje é o Bitcoin, cosiderada a mais estável. Outro problema é a volatilidade; alguns tokens podem perder ou ganhar valor rapidamente em um único dia, o que pode causar insegurança nas empresas e clientes.

De qualquer forma, veja abaixo alguns exemplos de empresas no Brasil que já se mostram abertas a aceitar criptomoedas. Segundo uma estimativa da CoinMap, 900 estabelecimentos no Brasil já recebem esses ativos como pagamento.

Parque Hotel Holambra, em São Paulo, aceita pagamento com Bitcoin (Imagem: Reprodução/Humphrey Muleba/Unsplash)

Turismo

O Parque Hotel Holambra, no interior de São Paulo, passou a aceitar o pagamento com Bitcoin há cerca de três anos. Além disso, a CheapAir, que lida com venda de passagens aéreas, incluindo operadoras brasileiras; e a Travala, portal de reserva de hotéis, recebem ativos digitais como pagamento.

Moda

Em 2018, a marca de moda Reserva disse aceitaria Bitcoins para quem fizer compras em seu site. No mesmo ano, a Calvin Klein fez o mesmo em suas lojas físicas de luxo em São Paulo. Fora do Brasil, a Gucci anunciou recentemente que vai começar a aceitar criptomoedas em algumas de suas lojas nos EUA ainda neste mês. Há planos de expandir a forma de pagamento para outros locais na América do Norte.

Cinema

Em 2019, o CineMulti, sala de cinema do Multi Open Shopping, em Florianópolis, passou a aceitar Bitcoin e criptomoedas como forma de pagamento. O sistema usado adota um terminal físico da empresa de software Bancryp, um criptobanco brasileiro.

Clube de assinaturas de vinhos Wine anunciou em abril que aceitará Bitcoin como forma de pagamento (Imagem: stokkete/envato)

Varejo

O clube de assinaturas de vinhos Wine anunciou em abril que aceitará Bitcoin como forma de pagamento em sua plataforma. A rede de supermercados Shibata também passou a aceitar pagamento em criptomoeda na unidade em São José dos Campos. A moeda digital aceita pela empresa é a Wibx, desenvolvida por uma startup local. No Rio de Janeiro, a rede Oasis Supermercados aderiu à tendência em 2018.

Mercado imobiliário

A Even fechou em novembro do ano passado uma parceria com a plataforma de negociação de criptomoedas Mercado Bitcoin. Os clientes da construtora podem adquirir até 100% do valor dos imóveis via Bitcoin ou Ethereum. E a Tecnisa foi uma das primeiras empresas brasileiras do ramo a aceitar Bitcoin como pagamento, em 2014.

Fonte: Folha de S. Paulo, Infomoney (1, 2Forbes, Exame, Livecoins

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.