Inflação alta e possível "falência" de empresa derruba mercado de criptomoedas

Inflação alta e possível "falência" de empresa derruba mercado de criptomoedas

Por Diego Marques | Editado por Claudio Yuge | 13 de Junho de 2022 às 14h20
envato/twenty20photos

A queda que iniciou na sexta-feira (10), após um anúncio dos Estados Unidos, sobre a inflação que atingiu nível recorde dos últimos 40 anos no país, continuou durante o fim de semana e se intensificou nesta segunda-feira (13) no mercado cripto. O preço das principais moedas digitais agora sente o impacto de uma possível insolvência do projeto Celsius, serviço bancário descentralizado, que pode “falir”.

Sexta-feira (10) o governo dos Estados Unidos anunciou o nível recorde da inflação no país. O mercado não reagiu bem à notícia e preço do Bitcoin, a principal criptomoeda que já acumulava queda de 4% na semana, após o anúncio caiu mais 3,5% em apenas um dia.

A Ethereum, segunda principal criptomoeda, que também caia cerca de 4% na semana, na sexta-feira teve uma desvalorização ainda maior, 7%. Queda maior se deu também por conta do efeito negativo de notícias relacionadas a criptomoeda Celsius.

As principais criptomoedas do mercado estão em forte queda, acompanhando o preço do Bitcoin (Imagem: Reprodução/Envato-Twinsterphoto)

Desde algumas semanas atrás, já circulam boatos sobre a possibilidade do projeto Celsius estar enfrentando problemas para honrar os saques dos investidores. A plataforma forçou os usuários a entrar no modo “HOLD”, termo usado no mercado cripto que significa a paralisação das transações.

O ato de impedir os investidores de sacarem suas criptomoedas confirmaria a insolvência da empresa, e acabou causando medo nos investidores em geral, pois a empresa tem opções em outras criptomoedas.

Insolvência significa que a plataforma não tem capital para honrar seus compromissos, o que força a ter que vender seus investimentos em outras criptos para acertar débitos. Com a Celsius tendo que vender suas participações em outras moedas digitais, acaba despejando no mercado grandes quantidades de Bitcoin e principalmente Ethereum — o que aumenta a pressão de venda e causa desvalorização.

Celsius envia mais de 100 mil ethers e 9 mil wBTC para corretora

Colin Wu, um jornalista que utiliza uma conta no Twitter para divulgar informações no mercado cripto, identificou transferências nos últimos três dias de grandes quantidades de wBTC (token que reproduz o mesmo valor do Bitcoin) e Ethereum.

A empresa se pronunciou em um post no blog Medium, “estamos tomando essa ação hoje para colocar a Celsius em uma posição melhor para honrar, ao longo do tempo, suas obrigações de saque”.

Dentre as principais criptomoedas do mercado a Ehereum tem enfrentado maior pressão vendedora, com possibilidade de despejo de mais de 100mil unidades da moeda (Imagem: Reprodução/Envato-rthanuthattaphong

O envio de wBTC e Ethereum para corretoras, assusta o investidor, pois a venda de grandes quantidades das moedas, cria uma pressão vendedora no mercado que não está preparado para absorver a compra.

A Ethereum é a que mais está sofrendo com o possível colapso da Celsius. A possível venda de 100 mil unidades de ETH acaba assustando o investidor que, na incerteza, decide também se desfazer de seus tokens, o que aumenta a desvalorização da moeda.

Com toda essa confusão, token CEL, criptomoeda da empresa Celsius, no sábado chegou a cair cerca de 70%, saindo de US$ 0,38 (R$1,90) para US$ 0,23 (R$1,17). No domingo voltou a subir cerca de 25% e atingiu US $0,49 (R$2,49), mas a recuperação não se manteve e atualmente a moeda apresenta queda de 42%, negociada por US$ 0,20 (R$1,00), no momento da escrita.

Fonte: Portal do Bitcoin

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.