Binance bloqueia contas de suspeitos de lavagem de dinheiro com criptomoedas

Binance bloqueia contas de suspeitos de lavagem de dinheiro com criptomoedas

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 01 de Fevereiro de 2022 às 18h20
Unsplash/Executium

A corretora de criptomoedas Binance, em uma medida para investigar lavagem de dinheiro na plataforma e possíveis violações de regras internacionais, bloqueou 281 contas de usuários nigerianos em sua plataforma.

Segundo informações da Reuters, o CEO da Binance, Changpeng Zhao, enviou uma carta para esses 281 usuários, explicando que a empresa havia tomado a decisão para garantir a segurança de usuários e para atender a exigências de autoridades internacionais.

No comunicado enviado para os usuários afetados, é citado que das 281 contas, aproximadamente 107 (38%) foram restringidas por exigências de entidades internacionais. As demais foram bloqueadas preventivamente.

Ainda na carta, o CEO da corretora afirmou que a empresa já havia conseguido resolver 79 casos, e que pretende em, no máximo, duas semanas concluir os demais ocorridos que não tenham ligações com descumprimento de leis internacionais.

Problemas da Binance com a Nigéria e criptomoedas

Antes da carta de Zhao ser enviada, usuários nigerianos da Binance estavam usando a hashtag #binancestopscammingnigerians ("pare de enganar nigerianos, Binance", em tradução livre) para alertar sobre os problemas que suas contas estavam encontrando na plataforma.

Considerando que o povo nigeriano enxerga criptomoedas como uma forma de proteger suas finanças contra a constante desvalorização de sua moeda local, a naira (₦), o bloqueio de contas em corretoras como a Binance acaba tendo um impacto gigantesco na população do país, justificando a criação de hashtags como a citada acima e reclamações em geral.

Além disso, esse bloqueio não é a primeira vez que algo do tipo ocorre especificamente com usuários da Nigéria na Binance. Em fevereiro de 2021, a corretora suspendeu temporariamente depósitos em contas situadas no país após o Banco Central da Nigéria exigir que instituições financeiras encerrassem contas com conexões com diversas exchanges de criptomoedas - o que fez muitos clientes se desesparem por terem ficado sem acesso aos seus ativos digitais.

Fonte: MoneyTimes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.