Não há ligação entre videogames e comportamento violento, revela estudo

Por Natalie Rosa | 21 de Março de 2018 às 10h26
photo_camera Amazon UK

Jogos de videogame não são capazes de tornar as pessoas agressivas. Essa é a conclusão de estudo realizado por pesquisadores alemães e publicado na Nature.

A análise focou nos efeitos dos videogames a longo prazo com 77 pessoas que não são gamers. Os participantes foram divididos em três grupos e responderam a um grande questionário que fazia a avaliação de personalidade de cada um.

O estudo durou dois meses e os grupos foram definidos da seguinte forma: um jogou GTA V, que conta com cenas de violência; o outro jogou The Sims 3, game que não apresenta violência; e o terceiro não jogou nada.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Após os dois meses, todos os três grupos responderam ao mesmo teste novamente e, um tempo depois, o fizeram mais uma vez, totalizando três testes até o fim do estudo.

Os grupos foram analisados individualmente e não foi encontrada nenhuma diferença significativa de níveis de agressão antes e depois do teste e dos jogos. Fatores como empatia, controle de impulso, ansiedade e níveis de depressão também não apresentaram qualquer alteração.

De acordo com os criadores do estudo, ainda é necessário conduzir novas pesquisas para comprovar que os jogos de videogame não afetam crianças, pois eles parecem ter mais impacto sobre elas. Simone Kühn, autora principal da pesquisa e pesquisadora do Instituto Max Planck de Desenvolvimento Humano na Alemanha, conta que suas descobertas rebatem diretamente as conclusões da Associação Americana de Psicologia, que fez uma ligação direta entre violência e jogos de videogame em 2015.

Recentemente, Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, citou massacres ocorridos em escolas norte-americanas como um fator a ser analisado pelas indústrias do entretenimento, principalmente a de videogames.

Fonte: Nature

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.